Uma Solução Peculiar




Num esforço para melhorar a capacidade de resgate de mergulhadores acidentados, Dutch Springs recentemente projetou um batelão de resgate com plataforma para transporte de mergulhadores acidentados.


Dutch Springs, um lago de 20 hectares em Bethlehem, na Pensilvânia, ostenta o maior número de mergulhos registrados nos Estados Unidos a cada ano. Mais de 30.000 mergulhadores visitam o parque durante a temporada de oito meses, portanto, em um dado momento, é possível que centenas de mergulhadores estejam na água ao mesmo tempo. Por muitos anos o parque usou um barco de borracha inflável a remo para o resgate de mergulhadores. Essa parecia ser a melhor solução para limitar a contaminação potencial das águas transparentes do lago, bem como garantir a segurança dos mergulhadores na superfície. Esta solução, no entanto, também tornava o resgate lento, e cansava o socorrista.

Muitas alternativas foram propostas ao longo dos anos, mas em 2012 a gerência e a equipe de segurança do lago fizeram um esforço concertado para melhorar a eficiência do resgate de mergulhadores, mantendo a segurança dos outros na água e a qualidade do ambiente que eles gostam. Muitas horas de brainstorming levaram a ainda mais horas de experimentação com uma variedade de embarcações. Um grupo da equipe de segurança do lago avaliou cada tipo de barco pequeno disponível, incluindo embarcações com pranchas de resgate, barcos de fundo plano com motores fora de borda e barcos infláveis com recortes no chão para a extração do mergulhador. A equipe e a gerência finalmente decidiram usar um pequeno barco tipo batelão, com um motor elétrico e banco de baterias montados dentro dos flutuadores. Esta plataforma proporcionaria a melhor combinação de facilidade de manobra e estabilidade, mantendo um pequeno perfil submerso e um sistema de acionamento não poluente.



Um problema permanente era o desafio de mover um mergulhador acidentado, vestindo o equipamento completo, da água até o barco com um único socorrista. Enquanto estava de férias um membro da equipe de segurança do lago, Dave Gregor, observou uma balsa com uma rampa basculante para carros entrarem e saírem da embarcação. Nesse momento ocorreu um avanço no resgate de mergulhadores. Um tecnólogo de engenharia, Gregor imaginou uma rampa de elevação localizada entre os flutuadores na proa do barco. Além disso, haveria um controle remoto que poderia ser operado pelo socorrista enquanto ele ou ela dirigissem o barco. O plano de resgate concebido por Gregor permitiria ao operador abordar, recolher e entregar sozinho o mergulhador ferido à costa. Mas nenhum fabricante oferecia esse tipo de barco.

Em 2013 Dutch Springs localizou e comprou um pequeno batelão bem usado. Com essa embarcação como ponto de partida, uma equipe de construção composta por Gregor, Ron Siedlecki e Kevin Scott desenhou um barco menor com todas as características desejadas. Ao longo de um ano a equipe desmontou a embarcação, diminuiu seus flutuadores de 6 metros para 4 metros, fabricou uma nova estrutura e remontou o barco. Eles adquiriram e instalaram um sistema de navegação com painéis solares para recarregar as baterias, eliminando a necessidade de eletricidade da costa.



O sistema da rampa caracteriza-se por uma estrutura de alumínio basculante com um deck de fibra de vidro e acarpetado. A rampa sobe e desce através de uma série de cabos e polias controlados por um motor elétrico reversível que possui uma bateria e um sistema de carregamento separados do sistema de propulsão do barco. O posto de operação é um centro de comando com controle de velocidade, direção e da rampa. Também tem um sistema de cabos de suporte para mergulhadores cansados em cada flutuador.

Depois que a equipe de segurança do lago passou por um treinamento extensivo que incluiu operação, técnicas de resgate e manutenção, o Daros foi colocado em serviço no início da temporada de mergulho de 2015. O nome representa os nomes dos construtores, Dave and Ron, e o dono de Dutch Springs Stu Schooley.

Há espaço no barco para o socorrista e um técnico da equipe de emergência médica. Durante períodos movimentados, o barco fica ancorado no meio do lago e serve como um posto central de observação, controlado por um membro da equipe de segurança do lago. O técnico da equipe médica fica localizado em uma das três estações de observação do lago baseadas em terra, para atender a qualquer emergência que ocorra no parque.




Em um resgate típico, o operador irá realizar uma aproximação controlada com a rampa abaixada em uma posição um pouco abaixo do mergulhador acidentado na superfície. O operador irá parar o barco e conduzir o mergulhador todo equipado em direção a rampa submersa, usando um bastão estendido. O operador então levanta a rampa acima da linha da água e se dirige à doca. A doca também é um projeto especial, inclui uma abertura que casa com a rampa do batelão. A abertura engata a rampa quando o barco se aproxima e fornece um suporte para o membro da equipe médica que estiver indo atender o mergulhador acidentado.

Até hoje o Daros foi utilizado para atender mergulhadores acidentados e também clientes do parque aquático adjacente. Ele continua sendo uma das muitas medidas de segurança aplicadas pelo parque Dutch Springs.

© Alert Diver — 3º Trimestre 2016

Language: EnglishSpanish