Snorkels: Prós e Contras






O snorkel tem sido considerado um equipamento padrão do mergulho por décadas. Ele proporciona a capacidade simples, porém útil, de nadar com o rosto na água na superfície sem ter de levantar a cabeça para respirar. Os snorkels também podem conservar ar comprimido para o mergulho e ajudar a minimizar aspiração indesejada de água em águas agitadas, quando tentar respirar pelo regulador não é uma opção.

No entanto, o impacto dos snorkels não é totalmente positivo. Eles são uma fonte de arrasto na água, o que não é bom quando puxam a máscara, um equipamento decididamente essencial. Eles também podem ser uma fonte de emaranhamento, por exemplo, em uma alga ou nos cabelos. E eles podem ser incompatíveis com algumas configurações de equipamentos. Então, o que fazer?

Posição a favor: um snorkel proporciona uma opção que pode ser útil em situações normais. Esse é um argumento direto. Quando um snorkel é necessário, provavelmente será necessário rapidamente, então, tê-lo à mão, disponível prontamente, é uma escolha de prontidão válida.
Posição contrária: a necessidade de um snorkel é baixa quando se está carregando suprimentos de ar abundantes ou em locais nos quais a natação na superfície é improvável, onde o emaranhamento é provável (naufrágios ou cavernas), ou onde eles oferecem pouca utilidade (gelo ou cavernas). A irritação que causa quando fica balançando na máscara também o torna menos desejável.
Onde colocá-lo?
Dado que a mangueira, na maioria dos reguladores de circuito aberto, passa por cima do ombro direito, um snorkel geralmente é menos intrusivo se for montado do lado esquerdo da máscara. O equipamento de circuito aberto possui mangueiras grandes em ambos os lados da cabeça, por isso deixar o snorkel em um bolso ou sacola é provavelmente a melhor opção.
Características de design
Uma grande variedade de designs de snorkels tem sido comercializada, variando desde tubos simples em forma de J até formas complexas para otimizar o equipamento, reduzindo a entrada de água e facilitando o esgotamento.

Um snorkel com um tubo longo e reto em forma de J provavelmente não é desejável devido ao maior risco de emaranhamento; snorkels com um tubo curvado na parte superior geralmente proporcionam um perfil mais baixo.

O furo (diâmetro interno) e a largura do snorkel são importantes. Um furo largo oferece menos resistência, porém trazer ar fresco para os alvéolos, onde a troca gasosa ocorre, requer a inspiração de um volume maior do que o das vias aéreas superiores e o do snorkel combinados (o espaço morto funcional). O gás do espaço morto terá uma fração maior de dióxido de carbono, o que estimulará a hiperventilação. Isso não é um problema se o volume de ar respirado for suficiente para trazer para dentro o ar fresco necessário. No entanto, o dióxido de carbono se acumulará se o volume inspirado for pequeno demais, geralmente forçando o usuário a parar de respirar com o snorkel bem rapidamente.

O tubo longo e fino (como uma mangueira de jardim) é inviável em um snorkel por causa de seu volume e da diferença entre a pressão na superfície e nos pulmões comprimidos. Puxar o ar por um longo caminho desde a superfície é simplesmente impraticável. Uma regra de ouro simples é que o furo de um snorkel deve exceder facilmente a largura do seu dedão (um pouco mais para as pessoas com mãos pequenas), e um snorkel não deve ser muito mais longo do que aqueles vendidos normalmente por fabricantes de boa reputação.

Um esforço inicial para evitar que a água entre em um snorkel (para evitar ter de esgotá-lo) foi colocar um giro de 180 graus no topo, coberto com um cesto contendo uma bola de pingue-pongue, o que, em teoria, bloquearia a entrada da água no snorkel. A ideia era criativa, porém, a eficácia era pequena e a probabilidade de falha era alta.

A abordagem moderna para facilitar o esgotamento do snorkel envolve uma válvula de via única posicionada de modo que o mergulhador não tenha de se esforçar tanto quanto seria necessário para soprar a água da parte de cima do snorkel. Essas válvulas podem ajudar, mas a técnica pode torná-las desnecessárias. Por exemplo, se um mergulhador em subida inclina a cabeça para trás na água e exala uma quantidade modesta na fase final da emersão, balançar a cabeça para a frente durante a subida esgotará a maior parte do snorkel.

Ondulações na parte externa do snorkel não são um problema se elas deixam o bocal do snorkel fora do caminho do bocal do regulador (um bocal giratório também pode ser similarmente útil), mas o furo interno de um snorkel deve ser liso, para reduzir o esforço de movimentar o gás através dele e para reduzir o aprisionamento de água que poderia ser inalada com uma inspiração intensa.

Snorkels dobráveis podem ser eficazes para serem guardados em bolsos, tornando-os aceitáveis para mergulhadores que não estão dispostos a carregar o snorkel de outra forma. O fundamental é garantir que eles tenham um bom desempenho durante a utilização.

Cores de alta visibilidade oferecem o benefício da segurança para todos os equipamentos de mergulho. Um snorkel de alta visibilidade não é tão eficaz quanto um capuz ou uma roupa fluorescente, mas ainda é uma boa ideia.
Snorkels e Mergulho Livre
O mergulho livre é geralmente separado do snorkeling propositadamente; o snorkeling é mais casual e o mergulho livre é mais extremo. Mergulhadores livres de competição não usam snorkels, porque estes acrescentam arrasto e espaço morto. Outros mergulhadores livres, porém, os usam, e isso levanta uma questão quanto à maior facilidade de a água entrar na boca durante um apagamento.

Embora haja uma grande quantidade de opiniões, há poucos fatos para sustentar cada uma das posições. De fato, parece que há um período, imediatamente após o apagamento, no qual suficiente tonificação muscular é preservada para evitar que a água entre através da boca fechada normalmente. Levar a vítima para a superfície imediatamente e manter as vias aéreas desobstruídas de água é, muitas vezes, suficiente para uma recuperação rápida. Uma boca aberta segurando um snorkel cheio de água poderia levar a uma entrada de água mais rápida, mas é uma questão difícil de se testar eticamente. Seria prudente que os mergulhadores livres evitassem os snorkels, mas esse posicionamento é oferecido com pouca evidência empírica. O mais importante é evitar hiperventilação excessiva (trocar mais do que dois ou três pulmões cheios de ar além da necessidade metabólica), o que pode aumentar dramaticamente a probabilidade de um apagamento.
Escolha do snorkel
No fim das contas, as escolhas sobre usar um snorkel e qual snorkel usar dependem do indivíduo. É conveniente não ter algo atrapalhando desnecessariamente, mas também é ótimo tê-lo à disposição se a necessidade surge. As opções de gerenciamento de suprimento de ar e emergências são importantes, e é bom ter um snorkel no dia em que os golfinhos escolhem nadar com você depois de um mergulho. Eu sou a favor de possuir um snorkel, geralmente uma versão mais compacta que seja fácil de usar ou carregar, conforme pede a situação.
Explore mais
Visite a galeria de fotos bônus para ver mais snorkels.

© Alert Diver — 3º Trimestre 2015

Language: EnglishSpanish