Pessoas Certas nos Locais Certos

Testemunhas com atitude rápida salvam um mergulhador inconsciente.


Felizmente para o Al, dois mergulhadores já estavam a 25 metros no fundo onde ele caiu. Eles rapidamente inflaram seu colete e nadaram agressivamente em direção à superfície.
No início de um dia de mergulho ninguém espera se machucar.

Meu grupo de 30 mergulhadores de San Diego acordou e encontrou nosso liveaboard em seu destino: a Ilha de San Clemente, próximo à costa da Califórnia. Nós devoramos o café da manhã, tivemos nossa preleção de segurança e começamos a nos juntar. Como líder da viagem, eu escolhi nosso primeiro ponto de mergulho, Outside Boiler, por causa de sua estrutura, paredes e arcos impressionantes.

Um dos mergulhadores "Al", disse ao seu dupla e a um membro da tripulação que ele queria entrar na água a partir da plataforma na popa, ao invés de usar o ponto de entrada lateral mais alto, devido a um pequeno procedimento médico que ele havia feito alguns meses antes da viagem. Ele desceu as escadas de quatro degraus que leva ao plataforma enquanto seu dupla continuava a vestir seu equipamento no deck principal acima.

Ninguém viu exatamente o que aconteceu a seguir, mas um barulho de algo caindo na água foi ouvido. Alguém gritou que o Al estava na água, indo para baixo e parecia que ele estava com "problemas". Eu corri para a popa e olhei por cima da balaustrada, mas ele já havia desaparecido de vista.

Eu perguntei àqueles que estavam no fundo do barco se o Al havia entrado na água de propósito, caído acidentalmente ou alguma outra coisa. Ninguém sabia. A confusão ameaçava tomar conta da situação. Eu pedi a uma dupla de mergulhadores que estava na superfície próximo ao barco para descer e buscá-lo. Apesar da gritaria inicial, não estava claro para mim se ele realmente estava com problemas ou havia simplesmente escolhido ignorar o bom senso e a boa educação e estava esperando seu dupla no fundo.

O choque do acidente prejudicou a minha capacidade de me lembrar exatamente os eventos daquela manhã. Eu acho que perguntei ao dupla do Al se ele poderia ter escolhido descer sozinho. O que eu não sabia naquele momento era que dois mergulhadores já estavam no meio da descida e viram o Al quando ele caiu. (A visibilidade era excelente, mais de 18 metros). Um desses mergulhadores mais tarde contou que inicialmente o Al parecia estar fazendo uma "dancinha feliz". Mas essa impressão mudou rapidamente quando ele viu o Al parar de se mexer, adotar uma posição de cabeça para baixo e continuar a descer sem reação. (Ele agora acha que viu Al se afogando).

Duas outras testemunhas já estavam no fundo a 25 metros. Eles dizem que os dois viram o Al caindo "como uma boneca de pano" e batendo no fundo com a cabeça primeiro. Eles rapidamente nadaram até ele, e um dos dois mergulhadores que estavam mais acima na coluna de água chegou alguns segundos depois. O regulador do Al estava fora de sua boca, seus olhos estavam abertos, e ele não respondia. O outro mergulhador inflou parcialmente o colete vazio do Al e o levou de volta à superfície a uma velocidade agressiva.

Eu estava no barco, não mais do que três minutos depois que o Al caiu na água, e ouvi um grito próximo à proa "Socorro, socorro! Isso não é um treinamento!". Eu pedi para trazerem o oxigênio, um desfibrilador externo automático (DEA) e um kit de primeiros socorros, e também pedi para que uma pessoa começasse a anotar os eventos.

Eu fui para a plataforma do barco e, com a ajuda do dupla do Al, agarrei o Al e o puxei para o barco. Um grito de angustia escapou dos lábios do dupla quando nós o puxamos. Ele estava desfalecido, seus lábios estavam azuis, e havia sangue escorrendo de seu nariz e boca. Eu nunca vou esquecer o olhar vazio em seus olhos.

Nós carregamos o Al até o deck principal e o deitamos de costas. Eu rapidamente determinei que ele estava inconsciente e não estava respirando. Eu executei duas ventilações de socorro, abri sua roupa úmida, pedi para alguém trazer tesouras para cortá-la e comecei a fazer RCP. Eu também gritei para o capitão notificar a Guarda Costeira.

Eu honestamente não sei quanto tempo de RCP eu fiz. Não pode ter sido mais do que dois ou três minutos; nós havíamos acabado de fixar os terminais do DEA quando eu olhei um momento para reavaliar a vítima e ouvi um fraco suspiro ofegante escapar de sua garganta.

"Eu acho que ele está respirando", eu murmurei. Eu quase não me atrevia a acreditar, ainda assim eu olhei e escutei, Al respirou mais uma vez, um pouco mais forte. Eu rapidamente instruí àqueles que estavam ajudando com o oxigênio a trocarem a máscara oronasal por uma máscara de não-reinalação e gentilmente coloquei-a no seu rosto.

A respiração do Al se tornou um pouco mais firme (mas de forma alguma mais forte) durante os minutos seguintes, e ele começou a emanar fracos gemidos. Eu continuei a falar com ele, estimulando-o a lutar e a respirar, assim como eu estava fazendo desde que o havíamos colocado no deck.

A atmosfera pesada, carregada de emoção naquele deck começou a diminuir um pouco conforme os gemidos do Al e depois lamúrias de dor se tornaram mais fortes. Estranhamente, aqueles gritos de dor eram os sons mais tranquilizadores que eu já tinha ouvido.

Havia uma obstetra/ginecologista a bordo, e eu transferi os cuidados do Al para ela. Vários minutos depois o Al conseguiu abrir os olhos, e permaneceu semiconsciente até que um helicóptero da Guarda Costeira chegou para transportá-lo para o departamento de emergência.

Surpreendentemente, o Al saiu do hospital 36 horas mais tarde, depois de uma bateria de testes e uma sessão na câmara. Uma combinação feliz de pessoas exatamente no lugar certo e muitos mergulhadores treinados abordo levaram a esse resultado bem sucedido.
Por que Tratamento Hiperbárico?
O médico no hospital para o qual o Al foi levado não sabia se o Al havia respirado ou não gás comprimido. Porque isso não podia ser excluído, o médico optou por tratar Al em uma câmara hiperbárica devido ao risco de embolia arterial gasosa (EAG). Eventualmente ficou claro que o Al não havia respirado gás comprimido, e o médico diagnosticou afogamento não fatal. A razão pela qual o Al caiu na água ainda não está clara; a memória do próprio Al do evento é incompleta.


© Alert Diver — 3º Trimestre 2014

Language: EnglishSpanish