Esboços de Papua Nova Guiné

Vinte anos de descobertas

Minha estante de livros está cheia de uma seleção de títulos ecléticos — livros de identificação de peixes, manuais de instrução de software e de fotografia, mapas, romances, guias e as crônicas dos maiores exploradores da história. Mas é da minha coleção de diários manuscritos, narrando minhas viagens e mergulhos, que eu mais gosto. Preenchendo as páginas surradas destes diários estão as minhas próprias palavras, além de meus pequenos e rudimentares esboços, com as crônicas de 27 viagens de mergulho para o lugar mais memorável do planeta: Papua Nova Guiné.

Depois de viajar, ida e volta para esta remota ilha durante mais de duas décadas, Papua Nova Guiné (PNG) se transformou em um segundo lar para mim. Eu fiz grandes amizades com operadores de mergulho e com os gentis e simpáticos habitantes. Com a ajuda deles, eu tive a oportunidade e o apoio para mergulhar em muitas das deslumbrantes regiões costeiras do país.

Cada vez que eu retornava, tinha que ajustar meus ouvidos às maravilhosas palavras faladas no rápido Tok Pisin, uma língua crioula baseada no inglês, que serve no país como língua franca. Moning tru significa "bom dia" e tenk yu tru dá um toque especial em "obrigado." Mas o melhor de tudo são as palavras relacionadas ao mergulho: swim aninit long sol wara, cuja tradução é "nadar embaixo de profunda água salgada."




Localizada ao norte da Austrália, de quem ela ganhou sua independência em 1975, PNG abrange a metade oriental da Nova Guiné, a segunda maior ilha do mundo. A metade ocidental da ilha, formalmente denominada Irian Jaya, tem sido chamada Papua Ocidental desde 2007, e é atualmente governada pela Indonésia.


Vulcão Ulaucan (Pai) ao nascer do sol, New Britain Ocidental
Contrastes surpreendentes na paisagem marcam o cenário exótico de PNG. Cadeias de montanhas robustas, quase intransponíveis, levam ao pico mais alto do país, o Monte Wilhelm, com 4.500 metros de altura. Vales verdejantes e florestas tropicais cobrem a maior parte do interior, e as planícies costeiras drenam alguns dos maiores sistemas fluviais do mundo. Vulcões ativos enfileiram-se seguindo o litoral norte da ilha e ao largo da costa pelas ilhas de New Britain, New Ireland e New Hanover. Formações vulcânicas pontilham as águas azul-turquesa do Mar de Bismarck e do Mar de Coral, criando uma colcha de retalhos com os recifes de corais e as pitorescas praias de areia formando o acabamento.

Habitantes Vibrantes
O relevo acidentado separou completamente as pessoas. Como resultado, PNG é um dos países de maior diversidade cultural no planeta, com mais de 850 línguas indígenas e, no mínimo, um número semelhante de sociedades tradicionais, isso dentro de uma população total de quase 7 milhões. O país é um dos menos explorados do mundo — cultural e geograficamente falando — e acredita-se haver muitas espécies de plantas e animais ainda não descobertas no seu interior.

Longe de serem os canibais sanguinários de lendas, os papuanos são pessoas animadas e amigáveis que tratam seus hóspedes com hospitalidade e respeito. Suas tradições e seus elaborados adornos corporais são tão coloridos quanto seus recifes multicoloridos.

PNG é também conhecida pelos seus pássaros exóticos e coloridos. Em um extremo na escala de beleza de penas está a ave do paraíso, com sua plumagem resplandecente e um elaborado ritual de acasalamento. No outro extremo estão os cassowary, aves que não voam — e nos lembram a era do Plioceno, com sua cabeça reptiliana de um azul brilhante e crista no topo. Pesando até 58 quilos, este temível pássaro pode correr até 48 km/h e engolir inteira uma fruta do tamanho de um punho, além de poder rasgar as tripas de um predador com um golpe das suas garras afiadas.

Ocasionalmente, novas espécies de mamíferos são descobertas, incluindo novas espécies de cangurus de árvores, cuscus-de-olho-grande (um marsupial da família do gambá) e morcegos que habitam as densas florestas montanhosas. E PNG ainda é uma fronteira inexplorada quando se trata de exploração submarina.

Baía de Kimbe

Polvo mímico (Thaumoctopus mimicus), Walindi Plantation Resort

Minha primeira excursão de mergulho na PNG foi à baía de Kimbe's Bay, em New Britain, e até hoje essa baía continua meu local favorito quanto à biodiversidade marinha. Eu enchi muitos disquetes com imagens da Baía de Kimbe, sem mencionar os inúmeros rolos de filme, antes do aparecimento das câmeras digitais. Cardumes de peixe-morcego, xaréu, barracudas são o poiasson du jour em Bradford e Inglis Shoals. Florestas de gorgônias e corais ‘red whip'são abundantes nos recifes de Susan, Vanessa e South Emma. São as pequenas coisas que mudam; dependendo da estação e da temperatura da água, ‘ghostpipefish'podem ser encontrados misturando-se com os corais. Cavalos-marinhos pigmeus, inúmeros nudibrânquios coloridos, camarões e caranguejos proporcionam uma infindável variedade de temas para fotografias. Para aqueles que não estão interessados em fotografar, ver um par de ‘góbio twinspot' limpando sua toca, ou uma enguia ‘blue ribbon'apanhando organismos minúsculos da correnteza é uma ótima maneira de se aproveitar o mergulho. Há vezes em que eu penso que os observadores aproveitam mais e voltam para casa com muito mais conhecimento comportamental do que aqueles como nós, que estamos sempre olhando através do visor de uma câmera.

Ninguém conhece melhor os recifes ao redor de New Britain, do que Max Benjamin e Alan Raabe, duas lendas locais. Benjamin e Raabe operam o Walindi Plantation Resort e o barco de mergulho liveabord FeBrina, respectivamente. Os dois são amigos de longa data e dividem uma paixão por conservar e proteger os recifes da área. Benjamin doou terras ao redor do resort para estabelecer Mahonia Na Dari (Guardiões do mar), uma organização dedicada à pesquisa e educação. Seus programas de extensão ensinam a comunidade local e as crianças de toda a PNG sobre os valores do meio ambiente marinho.

Ilhas Witu

Um mergulhador e um peixe de anêmona com barbatanas laranja (Amphiprion chrysopterus) sobre um coral-repolho.

Saindo de Kimbe Bay encontramos as maravilhosas Ilhas Witu. Localizadas à apenas algumas horas ao norte, estes pequenos afloramentos dão lugar a uma impressionante atividade de peixes grandes. Correnteza significa vida, e se você puder manter sua posição no Lama Shoals (também conhecido como Crack-a-fat-Reef), você será contemplado com um espetáculo visual incluindo tubarões, barracudas e xaréus. É uma exposição fascinante de predadores e presas, um espiando o outro numa dança de vida e morte.

Dick Doyle é um outro memorável membro do cenário local, além de ser um querido amigo. Sua família vem trabalhando na plantação de cacau em Witus há anos.

Aqui você vai encontrar os recifes de Dick's Reef, Dick's Knob, Dick's Cut e, finalmente, Dick's Place bem em frente à sua casa. Apenas um conselho: tenha cuidado com as anêmonas aqui e em outros lugares da PNG. Em Dick's Place há uma espécie particularmente perigosa, que se desenrola durante a noite e pode causar lesões verdadeiramente desagradáveis. Mesmo no paraíso, às vezes o perigo está à espreita.

Leste e Sul De New Britain
Muitos locais excelentes de mergulho podem ser encontrados em torno de New Britain. O recife Father's Reef está localizado ao leste de Kimbe Bay , perto da ilha de Lolobau. Daqui eu vi Ulawun, um vulcão que de vez em quando mostra alguma atividade, vomitar fumaça durante um espetacular nascer do sol, onde as nuvens ficaram iluminadas como se o vulcão as tivesse incendiado. Na água os golfinhos se aproximam querendo brincar, e dos recifes emana uma energia sem fim, a excitação é palpável.

Quando se trata de vulcões em atividade, a cidade de Rabaul oferece atividade constante. Rabaul é também um ótimo ponto de entrada para mergulho na costa sul de New Britain. Eu me juntei a Raabe a bordo de FeBrina, há muitos anos atrás em algumas das minhas primeiras explorações a esse lado menos visitado da ilha. Em 2002, eu fiz parte de uma expedição de um clube dos exploradores para mergulhar na nascente do rio Isis. A viagem rio acima, desde Waterfall Bay indo até o coração da floresta de New Britain, foi uma aventura inesquecível.

New Ireland e New Hanover
Mergulhar em Kimbe e em torno dela é, para mim, a mesma coisa que visitar um velho amigo. Por outro lado, explorar a região de Kavieng, ao norte, mais se compara a rever um tio muito engraçado. Locais de mergulho como Planet Channel e Albatross Pass podem proporcionar emocionantes mergulhos em correnteza que fazem o Blue Corner de Palau parecer um mergulho noturno em Bonaire. Segure o seu regulador enquanto uma corrente de três nós o carrega ao longo do recife, passando por tubarões de recifes, raias manta e cardumes de xaréus e barracudas.

É igualmente gratificante mergulhar nesses lugares de alta energia durante a calmaria que precede a mudança de maré. O tempo pode ser gasto de forma mais contemplativa, investigando volumosas gorgônias e florestas de coral-chicote de um vermelho intenso. Ambos se beneficiam dos nutrientes trazidos pela correnteza. O recife de águas rasas nos oferece uma variedade de regalos camuflados. Meu lugar favorito para encontrar peixe-pedra é num recife chamado Nusandaula, onde as faces mal encaradas dos peixes podem ser vistas olhando para cima dos corais. Os peixes-pedras olham para os mergulhadores com um desprezo indisfarçável. Eu acho que é uma dose de humanidade nossa, sermos capazes de pensar nessas criaturas tão carrancudas e venenosas com um certo carinho — ou talvez isso se deva à magia de PNG.

Golfo De Papua e Port Moresby

Peixe-escorpião rendilhado (Rhinopias aphanes), Recife de Jason’s Reef, Província de Milne Bay

Eastern Fields é um conjunto de recifes bem mais isolado, localizado no centro do Golfo de Papua. Por ser muito afastado, sujeitando-nos a uma demorada travessia e exposição ao tempo, Eastern Fields é uma opção de mergulho apenas para algumas épocas do ano, quando está calmo e tranquilo. Ali não há ilhas para se esconder quando o tempo piora. A recompensa por tamanho isolamento são os recifes que explodem em cor e atividade. Os maiores corais macios que eu já vi estão aqui, alguns têm minha altura. Lembram árvores de Baobá solitárias na savana africana.

Se viagens longas até locais de mergulho não for algo que você aprecie, há ótimas oportunidades de mergulho bem perto de Port Moresby, capital de PNG. A maioria dos mergulhadores quer sair do tumulto dessa grande cidade tão rapidamente quanto possível, e o hotel Loloata Island Resort não é muito longe. Localizado na baía de Bootless Bay, o resort é suficientemente distante do barulho e da criminalidade. A partir desse oásis é possível sair para mergulhar em lugares como Suzie's Bommie e End Bommie, que com certeza irão surpreender. Aqui mergulhadores podem encontrar tubarões ‘wobbegong,' cardumes de ‘sweetlips', peixe-morcego e Rhinopias — um gênero de peixe-escorpião que é um dos peixes mais procurados por fotógrafos subaquáticos. Os Rhinopias aqui podem ser vistos em uma variedade de cor — amarelo e preto, verde e preto, marrom avermelhado e preto, e até cor de rosa.

Baía de Milne Bay e Tufi

Um peixe-leão caça entre cardumes de ‘silversides’ e os pilares sob uma doca de Samarai Wharf.
Em minha mais recente viajem à PNG, visitei a baía de Milne Bay e Tufi, perto do extremo sudeste do país. Eu já tinha estado nos dois lugares anteriormente, mas é impossível se cansar de qualquer um deles. A baía de Milne Bay é habitada por muitos dos seres marinhos mais cobiçados pelos fotógrafos submarinos na PNG. É muito conhecida pelos excelentes mergulhos em sedimentos, conhecidos como ‘muck diving' mergulho entre criaturas.

Os mergulhos acontecem sobre o lodo ou bancos de areias escuras, que abrigam algumas das criaturas de aspecto mais alienígena e estranho que você poderia encontrar. Aguardando ansiosamente pelo nosso primeiro mergulho nesta viagem, e próximos de encontrar essas esquisitices em miniatura, nós embarcamos no barco de mergulho liveaboard Star Dancer, e começamos nossa viagem para Samarai Wharf.

A ilha Samarai tem uma história interessante. Durante os tempos coloniais, os proprietários de plantações usaram a área como um lindo refúgio para passar as férias com amigos, mas a tranquilidade terminou durante a Segunda Guerra Mundial, quando o Império Japonês atacou. Hoje, mergulhadores aficionados sabem que Samarai Wharf tem vida marinha em abundância e beleza incomparáveis.

Quando o sol fica mais alto e penetra as pranchas de madeira do cais, feixes de luz dançam através da coluna de água. Os pilares são incrustados com corais e esponjas brilhantes, que os pequenos peixes habitam e adotam como um porto seguro contra os predadores. Milhares de peixinhos prateados dançam graciosamente em volta dos pilares, como se participassem de alguma celebração, enquanto o peixe-leão os espreita por baixo. Eu revirei algum lixo no fundo e da proteção de um tubo saíram dois lindos camarões arlequim. Ali ao redor de sua toca havia uma coleção de estrelas-do-mar – o suficiente para alimentar os famintos pequenos predadores nos dias que se seguiriam. Havia tanto para vermos sob o cais que eu gostaria que tivéssemos tido mais tempo para procurarmos mais belezas e raridades.

A incrível diversidade da vida marinha de Milne Bay possibilita até aos visitantes ocasionais a descoberta de uma nova espécie. Durante uma viajem anterior, Rob van der Loos, o veterano mergulhador de Milne Bay, apontou para um amontoado de algas marrons no fundo lodoso. Eu sabia que tínhamos encontrado algo esquisito quando o amontoado piscou para mim. Se tratava de alguma espécie não descrita de polvo que, pelo que sei, nunca mais foi vista novamente.


Uma curiosa sépia ‘broadclub’ (Sepia latimanus)
Logo ali, vizinha a Milne Bay, está Lauadi, uma encosta de areia preta que, após uma cuidadosa inspeção, é palco para uma lula bobtail, camarões mantis, Inimicus (o feioso peixe-demônio), peixe-dragão (Pegasus volitans) e estrelas do mar. Este elenco muda a cada estação, então você pode se surpreender a cada retorno para uma nova visita e novos mergulhos. Embora a região de Milne Bay seja conhecida como a capital das criaturas marinhas, há também inúmeras e belas estruturas de recife. O recife conhecido como Doubilet's Reef é, sem dúvida, um dos mais estonteantes, e não muito longe dele está o recife de Jason's Reef, onde há chocos e Rhinopias em abundância.

E por último, na minha longa listas de lugares memoráveis para se mergulhar no sudeste de PNG, está o Tufi Resort, localizado em Cape Nelson, em Oro Province. Aqui, lindos pedaços de terra se estendem para dentro do Mar de Salomão formando vales que despencam drasticamente. Parecem fiordes, mas são formados pela erupção de três vulcões e não por geleiras. A área oferece mergulhos memoráveis, juntamente com uma rica herança cultural.

As tribos de Oro Province personalizam cordialidade e simpatia, e têm um grande orgulho em compartilhar suas tradições. Com impressionantes tatuagens faciais (usadas pela maioria das mulheres) e usando na cabeça adornos espetaculares feitos de conchas, penas e folhagens, os moradores de Oro acolhem os visitantes em suas vilas para que estes observem seu fascinante estilo de vida.

Uma Rica Tradição Cultural

Os homens de barro do rio Asaro de Goroka usam máscaras assustadoras, disfarces de lama e uma dança silenciosa para intimidar seus inimigos.
Os aspectos culturais de PNG não podem ser negligenciados. Frequentemente os mergulhadores se esquecem da conexão entre a incrível biodiversidade do ambiente marinho e das pessoas e tradições que ajudam a sustentá-la. As amizades que fiz no decorrer das últimas duas décadas visitando PNG são minhas mais queridas. Elas me ajudaram a ter uma melhor compreensão da relação existente entre a rica cultura e o saudável ecossistema marinho.

Nada acendeu mais minha paixão por este assunto do que o tempo que passei trabalhando num projeto chamado "Headhunt Revisited". Em 2005 embarquei numa expedição fotográfica para contar a história de uma jovem mulher aventureira chamada Caroline Mytinger, uma artista americana que abandonou as expectativas da sociedade para seguir seu sonho. De 1926 a 1930, ela viajou através da Melanésia capturando belos retratos pintados dos chefes tribais. Ao contar a história de Mytinger, espero proporcionar aos povos ocidentais uma melhor apreciação da cultura melanésia e ajudar a manter vivo o orgulho desse povo tão belo que habita esta parte do mundo. Sem a ajuda dos meus amigos de mergulho e da minha família estendida em PNG, esta viagem de dois meses no encalço da jornada de Mytinger jamais teria se concretizado.


Cavernas das caveiras em Tawali, Milne Bay, Papua Nova Guiné (Este relicário de mais de 100 anos atrás contém centenas de cabeças de inimigos).
Para quem se sentir disposto a viajar milhares de quilômetros à procura de um lugar colorido e selvagem, PNG representa a mais pura essência de aventura. Eu já tenho saudades de voltar às costas encantadas do país. Para apressar meu retorno, talvez eu precise tirar minhas mãos do teclado, comprar um novo e charmoso caderninho em branco e mais uma vez usar a caneta para rabiscar e esboçar meu trajeto através deste lugar mágico.


© Alert Diver — Winter 2012

Language: EnglishSpanish