Optando pela Segurança




O contexto social é uma realidade essencial do mergulho recreativo. Estabelecer e seguir bons exemplos é uma responsabilidade de todos os mergulhadores.


Na última edição de 2014 da Alert Diver, nós publicamos um artigo intitulado "Uma Cultura de Segurança no Mergulho" (coluna Expert Opinions). O propósito do artigo foi o de promover um diálogo na comunidade de mergulho recreativo sobre o papel do contexto social na segurança do mergulho. Ao longo de 2015 nós continuaremos essa conversa com vários líderes do mergulho. Nessa edição, Karl Shreeves, diretor de desenvolvimento técnico na Professional Association of Diving Instructors (PADI), compartilha suas ideias sobre a cultura da segurança no mergulho no mergulho recreativo atualmente.

De muitas formas nós realmente temos uma cultura de segurança no mergulho: Embora algumas vezes nos afastemos das práticas recomendadas, a taxa de acidentes seria muito maior se as normas culturais no mergulho fossem menos focadas na segurança. Ainda assim, estamos sempre nos esforçando para melhorar, e para isso eu acredito que valha a pena analisar o quão uma educação "eficiente" pode ajudar a promover nossos valores culturais de segurança.

A educação afetiva se preocupa com valores, atitudes e em como ensinamos as pessoas a tomarem as decisões corretas. Ensinar conhecimento e habilidades pode ser bem simples, mas é muito mais difícil influenciar a maneira como as pessoas aplicam suas habilidades e conhecimento. Por exemplo, o sistema escolar ensina às crianças sobre os riscos de fumar, e quase todos os alunos demonstram que eles compreenderam esses riscos quando são testados. Contudo, todo ano, apesar de ilógico, um número substancial de jovens adere ao fumo. Por quê?

O comportamento modelo é uma das influências mais importantes nas decisões das pessoas. Em qualquer cultura, as pessoas tendem a seguir o exemplo de líderes respeitados, portanto faz sentido que líderes do mergulho respeitados que ilustrem um comportamento de mergulho conservador devam liderar uma cultura de segurança no mergulho. Um papel fundamental das agências de treinamento deve ser o de identificar e retreinar ou expulsar instrutores que não sigam os padrões de treinamento. A PADI adere a essas práticas realizando pesquisas aleatórias pós treinamento. A maioria das organizações de treinamento se comunica entre si, o que torna difícil para um instrutor obstinado em particular continuar a ensinar simplesmente se afiliando a uma outra agência certificadora.

As pressões sociais exercem influência em nossas escolhas, para o bem ou para o mal, e um treinamento de mergulho apropriado fortalece a pressão social positiva e combate a pressão negativa. Por exemplo, mergulhadores iniciantes aprendem em seus cursos os limites de profundidade apropriados a suas experiências e treinamento. Todo o resto sendo igual, os iniciantes têm maior predisposição a escutar as recomendações de seguir os limites do que a escutar recomendações de ignorá-los. Ainda assim, como nos mostra o exemplo do fumo, "todo o resto sendo igual" é uma restrição enorme, e existe um limite para o que apenas o treinamento pode fazer. Embora fosse melhor para as pessoas que elas evitassem a influência da pressão social para fazer escolhas ruins, uma cultura de segurança no mergulho só pode prosperar se utilizarmos a pressão social para reforçar os valores que promovem a saúde e o bem estar do mergulhador.

Dizer que devemos ser modelos de comportamento é uma outra forma de dizer que não devemos ser hipócritas. Se você concorda que os limites estabelecidos são importantes para a segurança, então siga aqueles limites. Se você concorda que os mergulhadores devem ser certificados antes de participarem de certas atividades, não participe dessas atividades se não for certificado. Se você concorda que certos equipamentos devem ser obrigatórios em certos tipos de mergulho, não faça esses tipos de mergulho sem o equipamento obrigatório — não importa quem você seja.




Todos que estão inseridos em uma cultura ou reforçam os valores culturais ou então trabalham contra eles. Nós reforçamos os valores exercendo pressão social sobre aqueles que não agem de acordo, ou nós enfraquecemos os valores exercendo pressão social sobre os que agem de acordo. Para reforçar valores de segurança, nós devemos nos recusar a mergulhar com pessoas que não honram esses valores, e devemos nos expressar contra qualquer recomendação que não seja segura. Devemos receber bem e estar abertos a questões relacionadas à segurança a qualquer momento. Fazer com que as pessoas sintam que não podem levantar questões ou questionar um plano de mergulho enfraquece os valores de segurança que gostaríamos de promover.

Uma vez eu estava em um barco de mergulho em um grupo de seis mergulhadores quando um líder de mergulho respeitado nos pediu que verificássemos um ponto de mergulho a 40 metros de profundidade. Era um mergulho repetitivo com uma corrente moderada, e eu considerei que ele estava dentro das minhas capacidades. Entretanto, quando eu soube que o barco não tinha cabo suficiente para ancorar e que faríamos um mergulho seguindo a corrente e o barco nos acompanharia, me senti desconfortável e o disse ao líder do mergulho. Mérito dele, ele disse, "Ok, vamos planejar algo diferente". Nós renegociamos o planejamento e fizermos o mergulho sem contratempos.

Após o mergulho, vários outros no grupo me confidenciaram que eles estavam contentes por eu ter me expressado. Eu era provavelmente o mergulhador mais bem preparado no barco, mas nenhum dos outros disse nada. Por que fui eu quem protestou? Obviamente, algo na situação fez com que eles sentissem que não deviam fazer uma objeção. Todos nós devemos participar ativamente na criação de uma cultura na qual as pessoas se sintam confiantes não apenas em seus mergulhos como também em suas decisões de alterar um planejamento de mergulho. Todos nós podemos pro-ativamente reforçar a cultura da segurança no mergulho dessa maneira.

Se queremos um modelo para nossa cultura de segurança no mergulho, podemos olhar para os primórdios da comunidade de mergulho em caverna. Uma vez que o treinamento e a certificação de mergulho em caverna se tornaram estabelecidos, essa comunidade adotou uma linha de ação rígida com relação a seus valores culturais de segurança. O mergulho em caverna feito por indivíduos não certificados simplesmente não era tolerado dentro do grupo. Ninguém da comunidade iria mergulhar com alguém que não estivesse com o equipamento ou o treinamento adequado, e a pressão social era tendenciosa para o lado da segurança.

A filosofia do "qualquer um pode cancelar qualquer mergulho a qualquer momento por qualquer motivo" nasceu naquela época e permanece até hoje, reforçada por uma atitude de que você falhou caso tenha simplesmente imaginado que poderia ter um problema e não cancelou o mergulho. Seus companheiros podem até mesmo te repreender de leve por não querer cancelar um mergulho se não estiver se sentindo confortável. Após o início do treinamento formal do mergulhador em caverna e o estabelecimento dessa comunidade, mais de 20 anos se passaram antes que um mergulhador de caverna certificado morresse em uma caverna, o que é impressionante para uma técnica de mergulho tão avançada. Mesmo hoje em dia, fatalidades entre mergulhadores de caverna não são frequentes. (Houve centenas de mortes de mergulhadores em cavernas, porém mais de 90 por cento das fatalidades não foram de mergulhadores de caverna certificados).

A conclusão é a de que se quisermos manter e melhorara nossa cultura da segurança no mergulho, tudo o que temos que fazer é optar por mergulhar com segurança. Devemos fazer o que fomos treinados a fazer: estabelecer e seguir bons exemplos, nos expressar quando as coisas não parecem corretas, e nos recusar a mergulhar com qualquer pessoa que não faça o mesmo. É, realmente, simples assim.

© Alert Diver — 1º Trimestre 2015

Language: EnglishSpanish