A Borda do Bumerangue

Norte da Nova Gales do Sul


North Solitary Island apresenta uma variedade singular de espécies de águas temperadas e quentes.


Conte aos mergulhadores que você está indo para a Austrália, e eles quase certamente lhe perguntarão sobre a Grande Barreira de Corais. Alguns mergulhadores hardcore podem se perguntar se você está indo para o sul da Austrália ou para a Tasmânia. Mas além desses pontos, esse enorme país é um mistério no quesito turismo de mergulho para muitos norte-americanos. Você dificilmente pode nos culpar. É muito fácil distrair-se com a maior estrutura viva do planeta no norte e os tubarões brancos e os dragões-marinhos no sul.

É claro, os habitantes locais sabem das coisas, e é por isso que muitos dos seus destinos favoritos de mergulho no país vão além do familiar. O conhecimento local é o que chamou a nossa atenção para os detalhes da "Costa do Bumerangue", a extensão de costa curva e populosa que se estende de Brisbane até Adelaide. Ao longo desta costa estão inúmeros pontos de mergulhos de renome, incluindo vários pontos que chegam às listas australianas dos Top 10 ano após ano. Uma exploração completa da região levaria meses, então nós nos restringimos a um trecho de 560 km do norte da Nova Gales do Sul. Esta área, onde a água morna encontra a fria e a vida marinha parece que tem tudo o que você sempre desejou ver, é digna de nossa atenção focada.
Esperando Tubarões Zumbis
A sonolenta cidade de South West Rocks é celebrada por um único, porém espetacular, mergulho: Fish Rock, um ilhéu baixo e modesto, rodeado por bordas e pináculos

Um tubarão-mangona patrulha Fish Rock — lentamente.
subaquáticos, a maioria dos quais estão a menos de 30 metros de profundidade. O ilhéu em si é um grande desenho subaquático, uma vez que uma caverna de 120 metros de comprimento fica em seu centro. Este ponto é um habitat essencial para tubarões mangona, e não apenas um ou dois, mas centenas dessas criaturas ameaçadas pululam em torno da rocha e ocupam toda a extremidade rasa da caverna.

Bem, em todo caso eles normalmente enxameiam e lotam esses lugares. A água estava excepcionalmente quente (26 ° C quando chegamos), e pela primeira vez em mais de uma década, os mangonas desapareceram completamente da área, sem serem vistos por duas semanas. Relatos de um único tubarão na tarde anterior provocam um clima de otimismo cauteloso. Nosso guia de mergulho nos conta sobre o seu comportamento: os tubarões-mangona têm uma aparência desconcertante, com um emaranhado de dentes, mas como eles exercem baixos níveis de energia durante o dia, seu movimento é lento. Movimentos rápidos, bolhas e luzes brilhantes podem assustá-los. Consideramos essas dicas e criamos um plano astuto: se encontrássemos com um tubarão, ficaríamos completamente parados, manteríamos nossas luzes apagadas e tentaríamos não exalar. Parece bastante fácil.


Uma tartaruga-comum em Fish Rock.


Não pudemos testar nossa estratégia de imediato, já que os tubarões permanecem ausentes naquela primeira manhã. Fish Rock não é considerado um dos melhores mergulhos da Austrália por nada, entretanto: tubarões tapete (tasselled wobbegongs e spotted wobbegongs) estão empilhados em cima de cumes e cabeços e quase escondidos por redemoinhos de cintilantes e angulares bullseyes. Enormes bull rays passam a intervalos regulares, assim como as tartarugas - várias verdes, assim como uma velhota teimosa de uma tartaruga-comum que praticamente nos chuta do seu caminho. Vimos um esquadrão de raias e nadamos através de uma espetacular caverna que contem mais wobbegongs e bull rays, vários grandes peixes-carvão-do-pacífico e dois encantadores nudibranquios dançarina espanhola. Não há tubarões? Sem problemas. Mas quando descemos esperançosamente para o mergulho da tarde, atingimos uma camada de água fria que não estava presente anteriormente, e nosso guia imediatamente começa a gesticular em direção a um nódulo longo e esguio entre as saliências. Uma observação atenta revela que o nódulo está se movendo (embora quase imperceptivelmente) e que ele tem uma boca cheia de dentes afiados - ambas as características de identificação de um tubarão-mangona. Outro pode ser visto à distância, então nós descemos a depressão entre as bordas para colocar nosso plano em ação. Agarro uma rocha e tento ficar quieta. Estou ocupada com duas grandes contemplações enquanto aguardo a aproximação do tubarão (Deus sabe que tenho muito tempo): um, exalação limitada significa inalação limitada, e dois, um nome melhor para essas criaturas lentas é "tubarões zumbis".

Nos dois dias seguintes, a temperatura abaixo dos 10 metros cai, resultando em termoclinas cruéis de 5,5 ° C de diferença para mais ou para menos. Nós somos atraídos pela água morna e clara na superfície, que muda para uma água fria, como um sorvete induzindo uma dor de cabeça, e turva em profundidade. Nós aceitamos isso. Esta água fria e rica em nutrientes é frustrante para os fotógrafos, mas é boa notícia para os tubarões zumbis. Na tentativa de parecer atentos a tudo, nós revisitamos os wobbegongs e atravessamos a caverna, mas são os tubarões-mangona que têm nossa devoção. Em nosso último dia de mergulho, seus números estão finalmente aumentando, e enquanto colocamos nosso equipamento no carro, nós prometemos ao nosso guia de mergulho que voltaremos em breve.
Caos de Mantas
Chegamos na praia para ver o barco de mergulho sendo colocado na água - mais especificamente, uma praia coberta de kelp. Olho para o capitão. "A água está quente, você diz?"

"Sim",

Corais moles enfeitam as rochas em Mackerel Run, um ponto de mergulho
na ponta de North Solitary Island.
ele responde. Ele me vê cautelosamente inspecionando o kelp e diz: "Há água está mais fria bem próximo à praia. Mas não nas ilhas. Elas estão na corrente oriental australiana ".

Isso parece ser um diferencial de temperatura, mas este lugar é conhecido por isso. A corrente mais fria e costeira vem das regiões temperadas de Tasmânia, enquanto a Corrente oriental Australiana transporta a água quente vinda do Mar de Coral e da Grande Barreira de Corais. As duas colidem nas Ilhas Solitárias, produzindo um ambiente único com características e vida marinha de ambas as regiões, chave para o porquê este parque marinho é tão ferozmente protegido.

Efetivamente, a 24 milhas da costa, a água é tão quente e azul quanto qualquer destino tropical emblemático, sem um pingo de algas à vista. As condições nos impedem de atracar em North West Rocks (a localização do lendário ponto Fish Soup), mas podemos ancorar na ponta norte da Ilha Solitária Norte para explorar o igualmente famoso Anemone Bay, um recife inclinado e pedregoso com uma profundidade máxima de 24 metros. Dois grandes cações-viola estão patrulhando a área, então eu gasto a maior parte do mergulho com a esperança de ficar cara a cara (ou melhor ainda, câmera-a-cara) com uma dessas bizarras raias parecidas com tubarão. Quando finalmente desisto dessa empreitada, começo a apreciar verdadeiramente a beleza dos invertebrados homônimos do ponto de mergulho. Anêmonas sobrepostas preenchem o fundo do mar, formando um verdadeiro campo de nobres moradias padronizadas para os extremamente prósperos locais peixes-palhaço.


Um cardume de bullseye nada sobre um tubarão wobbegong que descansa em Fish Rock.


O próximo ponto, Mackerel Run, um dedo rochoso coberto de corais moles que se esconde no oceano aberto, não é menos impressionante. A profundidade média (23 metros) é bastante tranquila, mas a corrente próxima ao ponto é violenta. Eu a observo atentamente, sabendo que, em qualquer dia, este lugar é provavelmente testemunha de hordas de uma espetacular vida marinha selvagem assa por ali. Tão logo esse pensamento entra em minha mente uma grande raia passa, logo seguida por um cardume de barracudas, outra raia e um enorme peixe-carvão-do-pacífico. Elbow Cave, do lado protegido da ilha, atrai meu interesse assim que vejo um wobbegong nadando. Wobbegongs! Eu esqueci completamente de admirar os wobbegongs desta área, e eles absolutamente lotam o ponto (embora a maioria seja representada por caudas saindo debaixo das saliências). A caverna homônima aqui, uma gruta revestida de esponjas cheia de bullseye, felizmente contém um wobbegong virado para frente que olha melancolicamente para mim enquanto eu o fotografo.

Na manhã seguinte, o barco dirige-se para Northwest Solitary Island, um pequeno pedaço de terra a apenas 18 milhas do continente. Nós ancoramos em uma baía rasa chamada Lion's Den, onde mantas foram avistadas no dia anterior à nossa chegada. Nosso primeiro mergulho não tem mantas, embora seja bastante bom. O ponto tem uma profundidade fácil de 12 metros com muitos corais duros e moles, cardumes agitados de bullseye e butterflyfish e algumas tartarugas verdes realmente bonitas. Contudo - e eu sei que isso parece petulante - me sinto um pouco lesada: apenas alguns tubarões-mangona no norte e pontos de mergulho limitados pelas condições meteorológicas aqui. Queremos algumas mantas.

Felizmente, o universo concorda. Estamos a meio caminho do nosso segundo mergulho quando aparece a primeira manta; Em pouco tempo, vimos cinco diferentes. As três horas seguintes são uma balburdia total. Uma manta (ou duas ou três) podem ser vistas a qualquer dado momento. Logo as memorizamos por seu tamanho e coloração, e escolho um favorito - uma grande beleza melanística, com uma ponta de nadadeira fraturada, que me segue como um cachorrinho. Fazemos bom uso de todo o ar extra disponível, apenas encerrando o dia quando o sol já está baixo no céu e todos os cilindros a bordo foram esvaziados. O barco volta para o continente, e nós observamos melancolicamente enquanto Lion's Den desaparece no horizonte.


Durante o verão, as mantas algumas vezes se reunem Northwest Solitary Island.


Como a Zebra Obteve suas Pintas
Nosso guia olha severamente para mim enquanto navegamos com o motor, ao estilo Mar-em-fúria, através da zona de arrebentação "Estou feliz que você não vá discutir comigo se eles são tubarões-leopardo ou tubarões-zebra. Todos aqui os chamam de tubarões-leopardo ".

Eu descarto um desejo de discutir os "outros" tubarões leopardo, os que habitam as águas do nosso estado natal da Califórnia. O fato é que estamos aqui para ver (peço desculpas ao nosso guia) tubarões-zebra. Além do fato de que os tubarões-leopardo parecem mais estereotipicamente com tubarões, enquanto os rostos dos tubarões zebra se assemelham ao de Pillsbury Doughboy, é fácil ver como um mal-entendido poderia surgir: os verdadeiros tubarões -leopardo apesentam manchas ao longo de toda sua vida e as listras que adornam os tubarões zebra juvenis desaparecem para se tornarem manchas conforme os animais crescem. O resultado final é o mesmo: tubarões pintados que podem ser vistos com previsibilidade em certas épocas do ano, embora em locais diferentes.


Um tubarão-zebra em Julian Rocks Marine Reserve.

Nós ancoramos perto da borda oriental das rochas e caímos em águas com 10 metros de profundidade, batendo as nadadeiras em direção a Needles, uma série de cumes, rochas e canais de areia. Quando chegamos ao que parece ser o epicentro da movimentação de tubarões, nos estabelecemos atrás de uma rocha, esperando que nosso plano do tubarão-mangona funcione igualmente bem aqui (e nos sentindo bastante agradecidos pelos tubarões zebra nadarem a um ritmo comparativamente mais rápido). Em pouco tempo, os tubarões-zebra estão nadando sobre nossas cabeças a intervalos regulares.


Um polvo ocupado procura por sua próxima refeição em Julian Rocks
Marine Reserve.
Pouco tempo depois, outras formas de vida marinha também estão passando, incluindo várias raias, polvos caçando e águas-viva, essas últimas ocasionalmente sendo perseguidas por alguma tartaruga faminta. Entre os rostos caricatos dos tubarões-zebra e o movimento quase constante de pressionar o botão do obturador da câmera, todo o ambiente tem um pouco de uma vibe de videogame: tubarão-zebra, tubarão-zebra, raia bônus, tubarão-zebra, tubarão-zebra, tartaruga bônus triplo. Este é um prazer preguiçoso próprio dos fotógrafos: os tubarões zebra parecem operar em um circuito, então há pouca necessidade de se mover além de ajustar um pouco o ângulo da foto. Quando subimos de volta a bordo, outro barco havia chamado para nos contar sobre uma manta avistada do outro lado das rochas. Olhamos um para o outro divertidos, sorrindo com benevolência. (UMA manta? E nós teríamos que nos deslocar?)

O ridículo da nossa reação não me passou despercebido. Em apenas duas semanas nós ficamos tão mimados que a perspectiva de uma única manta não é excepcional, menos de uma dúzia de tubarões zumbis por mergulho é completamente inadequado, eu me esqueci de apreciar os wobbegongs e eu comparo dezenas de tubarões zebra com um jogo de Space Invaders. A Costa do Bumerangue merece o seu nome por várias razões; uma é que meu retorno é absolutamente garantido. E da próxima vez, não importa o quanto a Nova Gales do Sul me mime, farei questão de fotografar todos os wobbegong que vir.
Como Mergulhar Lá
Como Chegar Lá: Muitas companhias aéreas internacionais voam para Brisbane e Sydney, e conexões locais estão disponíveis para Coffs Harbour (adjacente ao Solitary Islands Marine Park). De Brisbane ou Sydney, a viagem de carro para South West Rocks pode levar seis horas. Muitos visitantes (incluindo cidadãos dos EUA) precisarão de um visto de curto prazo ou de um Electronic Travel Authority (ETA) para visitar a Austrália. Visite australia.gov.au para obter detalhes.






Estações, Proteção contra Exposição e Vida Marinha: As temperaturas da água flutuam muito com as estações nesta parte de Nova Gales do Sul, com temperaturas mínimas de inverno (maio-agosto) caindo até os 15 ° C e no final do verão entrando nos 25 ° C ; Um traje de 5 mm é adequado no verão, mas um traje de neoprene de 7 mm com capuz é uma escolha melhor durante o inverno. Devido às grandes diferenças nas temperaturas da água, a vida marinha também varia de acordo com a estação. Os mergulhadores que visitam durante os meses de inverno são mais propensos a interagir com os tubarões-mangona, bem como com as sépias gigantes em todos os pontos. Os meses de verão podem apresentar mantas e tubarões-zebra. Os tubarões wobbegong, peixes-carvão-do-pacifico e muitos tipos de raias podem ser vistos o ano todo. As águas em torno de Fish Rock (que podem ter termoclinas frias durante o ano todo) são um bom lugar para ver os tubarões-mangona, independentemente da estação. (Nota: visitamos em março).

Nível de Habilidade e Condições: Os pontos nesta região podem variar amplamente em termos de profundidade, corrente e ondulações, por isso não deixe de informar a operadora de mergulho sobre seu nível de habilidade para garantir que seus mergulhos sejam agradáveis. As câmaras hiperbáricas mais próximas estão em Sydney e Brisbane.

© Alert Diver — 4º Trimestre 2016

Language: EnglishSpanish