Um Conto de Duas Baias: Monterey e Carmel




Estrelas-do-mar-ocre e estrelas-do-mar-morcego decoram as rochas da baia de Monterey durante a maré baixa.

Eu deveria estar pensando em John Steinbeck. É o que meus professores de literatura teriam esperado, e o que eu havia imaginado que iria fazer, tendo inclusive retirado um exemplar de "A Rua das Ilusões Perdidas" para ler durante a minha visita. Mas de pé aqui nesta praia gelada, é Mark Twain que vem à minha cabeça — ou melhor, é uma citação erroneamente atribuída a ele: "O inverno mais frio que eu já passei foi um verão em São Francisco". Tudo bem, São Francisco fica a mais de 1500 km a norte daqui, mas enquanto eu tremo sob um céu cinzento de julho vestindo cinco camadas de agasalho, me parece apropriado.



Esta pode parecer uma maneira desconfortável de começar um mergulho, mas nada pode diminuir minha empolgação. Não consigo evitar uma risada de satisfação comigo mesma enquanto pego minha roupa seca e começo a me equipar. Após semanas de antecipação, estamos finalmente em Whalers Cove, parte da Reserva Natural Estadual de Point Lobos da Baia de Carmel. A água está mais quente do que o ar, podemos ver o fundo do oceano a 12 metros abaixo de nós, as íngremes falésias e rochas totalmente lavadas ao nosso redor já inspiraram alguns dos melhores artistas da história americana. Este é possivelmente o melhor mergulho de praia da Califórnia, e está certamente entre os melhores do país, portanto é difícil me preocupar com o céu cinzento.

Conforme descemos, eu olho ao redor para os kelps suspensos na água azul transparente, com caranguejos vermelho brilhante e gastrópodes Norrisia norrisii com a concha recoberta por cracas, agarrados às folhas. O recife rochoso está tão recoberto por grandes anêmonas-piscívoras que se eu piscar ele parece um campo de flores coloridas. Uma foca morde minha nadadeira, e então nada rápida e timidamente para longe, e uma grande raia elétrica passa por nós lentamente, procurando por uma refeição. Este local tem sido uma reserva marinha por décadas, portanto os peixes são abundantes e surpreendentemente grandes. Densas aglomerações de Sebastes mystinus lotam a coluna de água, e há peixes Escorpião-marmoreados do tamanho de pequenos cachorros em uma pedra sim outra não.


Um peixe-escorpião-marmoreado e um lingcod descansam lado a lado nos recifes rochosos da Reserva Natural Estadual de Point Lobos.
Ressurgências ricas em nutrientes provenientes de cânions submarinos longe da costa estimularam o crescimento de uma agitada vida de invertebrados que recobre toda a superfície dura. O número de mergulhadores permitidos no parque é estritamente limitado; nós não vemos uma única outra pessoa durante nosso mergulho. Enquanto nadamos de volta para a praia, me ocorre a razão pela qual este local é tão especial: esta floresta exuberante é como uma volta no tempo, revelando aos visitantes como era o oceano no passado. É uma Califórnia quase impossível de se ver atualmente.

A cidade de Monterey atrai milhares de visitantes que vêm em busca do mar todos os anos. Os mergulhadores em particular são atraídos para esta área devido à variedade e facilidade de acesso aos pontos de mergulho de alto nível nas duas baías que ficam em cada lado da península de Monterey. A baia de Carmel, no lado sul da península, é onde normalmente começamos nossas saídas de mergulho nesta região, e por razões óbvias: O intrincado sistema de áreas marinhas protegidas aqui significa que os peixes são prolíficos e gordos. Dentre os pontos de mergulho próximos a Carmel, o mais reverenciado fica dentro da Reserva Natural Estadual de Point Lobos, um parque que abrange e protege cerca de 10.500 acres, do quais 9.900 estão submersos. Whaler's Cove é o local de acesso por terra; sua rampa de barco oferece um ponto de entrada conveniente para mergulhadores autônomos e livres. Imediatamente a noroeste fica Bluefish Cove, uma floreta de kelp imaculada que não possui um ponto de entrada separado, mas pode ser facilmente acessada por uma pequena embarcação que sai de Whalers.


Um caranguejo sobe pelo Kelp na Reserva Natural Estadual de Point Lobos.
Estamos nos preparando para um segundo mergulho em Whalers quando um mergulhador com um barco inflável de casco rígido nos convida para acompanha-lo em um mergulho "logo ali". Nós gratamente aceitamos e jogamos nosso equipamento dentro do barco antes que ele mudasse de ideia. Prontamente saímos, passando ao largo de Bluefish Cove e ancorando no adjacente Outer Bluefish Pinnacle. Este pináculo geminado chega a se elevar a 10 metros da superfície da água e está coberto por coloridas esponjas, hidrocorais, estrelas-do-mar, anêmonas e lapas. Eu estou admirando os invertebrados coloridos nas aguas rasas quando eu vejo meu dupla sinalizar freneticamente. Ele agita as mãos gesticulando como um mágico (voila!), para me mostrar uma descoberta bizarra: um enorme lingcod verde-limão descansando em um rizóide de kelp flutuante.

No dia seguinte planejamos mergulhar a partir de Monastery Beach, um trecho de areia acessível ao público ao norte da reserva. Monastery oferece acesso de praia a pontos de mergulho conhecidos por paredões íngremes e igualmente íngremes pontos de entrada. Isto significa que os mergulhadores avançados são atraídos para cá pela encantadora possibilidade de diferentes mergulhos profundos, mas estes requerem entradas difíceis, cheias de entulho, que ficam ainda piores devido a uma estreita mas poderosa zona de arrebentação — fatores que originaram agourentos apelidos (como "Praia Monstroberry" e o ainda mais sinistro "Praia Mortuária"). Embora os dramáticos paredões, as pedras cobertas por esponjas e uma miríade de grandes peixes recompensem os mergulhadores persistentes, eu não consigo evitar uma certa apreensão.

Enquanto estamos carregando nosso equipamento no carro, recebemos um telefonema que transforma minha preocupação em pura animação. Milagrosamente alguns lugares estão disponíveis no barco que vai para Carmel Pinnacles, o ponto de mergulho que é o Santo Graal da região. Os pináculos são uma parte remota mas parte da reserva marinha, embora sua localização exposta signifique que os dias anteriores à saída de barco possam ser ocupados por apreensivos exames minuciosos da previsão do tempo e das ondas.

Nós mal podemos acreditar em nossa sorte enquanto exploramos a espetacular estrutura dupla que se eleva de dezenas de metros de profundidade até os 5 metros em seu ponto mais raso. Os invertebrados aqui incluem uma das mais estonteantes e coloridas variedades de hidrocorais da região, e a diversidade de peixes aqui é tão incrível quanto no resto da reserva. Para completar tudo isso, o isolamento do local e a presença do cânion submerso próximo significa que todas as formas de vida pelágica também podem ser vistas aqui.


As estranhas águas verdes da Baia de Monterey são um adorável pano de fundo para as estrelas-do-mar-sol e anêmonas Metridium que povoam o Metridium Field.
Sabendo que este local será difícil de ser superado, decidimos que é hora de mudarmos nossa atenção para a Baia de Monterey. A diferença é notável. Enquanto a Baia de Carmel parece cercada de natureza, a Baia de Monterey está imersa em história. Muitos pontos de mergulho de praia na cidade de Monterey são imediatamente adjacentes à histórica linha de industrias de enlatados, conhecida como Cannery Row, e são marcadas por remanescentes extintos da indústria da pesca de sardinha. A Baia de Monterey (conhecida localmente como "a baia") apresenta um fundo de sedimentos que normalmente não permite a visibilidade que pode ser encontrada na Baia de Carmel. Entretanto, a presença de pontos de mergulho protegidos e vida marinha variada atrai grandes grupos de mergulhadores das redondezas.

Debaixo da água, a diferença entre as duas baias é ainda mais impressionante. As cores vibrantes da Baia de Carmel contrastam com as gigantes anêmonas do gênero Metridium, as místicas águas verdes e surpreendente vida macro encontradas na Baia de Monterey. Seguimos antigas tubulações de fábricas de enlatados a partir da praia até uma profundidade de 20 metros para chegar a Metridium Fields, um discreto recife rochoso habitado por um pequeno cardume de peixes da família Embiotocidae e povoada por grupos de anêmonas gigantes do gênero Metridium e estrelas-do-mar-sol laranja-neon. O vizinho ponto McAbee Beach, que requer uma natação um pouco mais longa, é o próximo: é um adorável ponto com kelp emoldurado por pedras de granito pontilhados com estrelas-do-mar coloridas e anêmonas-piscívoras.


Urtigas-do-mar preenchem a coluna de água na Baia de Monterey.
Com um pouco de preguiça, decidimos que estávamos com vontade de alguns mergulhos embarcados. Ancoramos em Ballbuster, um pináculo que despenca de 20m até 34 m de profundidade. Quando observamos atentamente a água, notamos algo pelo qual havíamos esperado a semana toda: um grande número de águas vivas. Centenas de urtigas marinhas douradas pulsantes se movendo através da coluna de água, e a visibilidade é a melhor que já encontramos na baia. Meu dupla olha para mim seriamente e diz, "Não. Você NÃO vai fotografar águas vivas em 8 metros de água durante o mergulho inteiro." Eu sorrio inocentemente e faço um rolamento dorsal para dentro d´água.


Uma anêmona-piscívora (Urticina piscivora) espera por sua presa.

Quando descemos, eu tenho dificuldade em me concentrar no pináculo, apesar de sua grossa camada de anêmonas Metridiums gigantes e Corynactis cor de rosa. Eu fico ligeiramente mais interessada quando avistamos um peixe-escorpião-marmoreado protegendo um grande ninho e um polvo gigante do pacífico encolhido bem no fundo de uma fissura, mas eu não conseguia parar de olhar para alto do cabo da ancora onde estavam as águas-vivas. Finalmente, meu dupla, exasperado, faz o sinal para voltarmos, e tenho certeza de que todos os mergulhadores na água puderam ouvir minha exclamação de entusiasmo ao começar minha subida. A corrente estava forte, e é difícil enquadrar as águas-vivas contra o sol (e mais difícil ainda evitar seus tentáculos urticantes), mas nós persistimos obstinadamente.

Para nosso último mergulho, nos dirigimos a The Breakwater, certamente o ponto de mergulho de praia mais popular da baia. O ponto, que fica ao lado do píer da Guarda Costeira Americana, é uma combinação de uma área arenosa suja com um recife rochoso decorado por kelp. Foi a primeira vez na semana em que procurei por coisas menores do que uma toranja, e uma vez que começo a procurar, não consigo parar. Nudibrânquios vorazes estão por toda parte, desde o Dendronotus laranja, que se parece com um dragão, se alimentando de Ceriantharios, até Melibe de capuz branco se alimentando de presas no movimento das ondas. Os fortemente coloridos gastrópodes Clliostoma annulatum escalavam o kelp, e minúsculos polvos subiam entre as rochas, tentando passar desapercebidos.

Atingimos o nosso ponto de retorno e nos dirigimos de volta para a praia. Eu estava prestes a subir a superfície quando percebo um movimento deslizante do lado de uma rocha. Uma inspeção mais próxima revela um minúsculo juvenil de enguia-lobo, menor do que a palma da minha mão, encarando-me com surpresa ou simplesmente para se despedir. Subo para a superfície relutantemente, deixando as ondas me empurrarem para a praia, e retiro minhas nadadeiras com um sorriso.
Como Mergulhar Lá

A costa Big Sur, próxima às Baias de Monterey e Carmel, é conhecida por sua beleza majestosa.
Condições e Nível de Habilidade: As Baias de Monterey e Carmel são decididamente temperadas, com as temperaturas da água variando entre 7°C e 13°C. A visibilidade varia entre 3m (em um dia ruim no interior da Baia de Monterey) até mais de 24m (em um ótimo dia na Baia de Carmel ou na parte externa da Baia de Monterey). Uma roupa seca ou uma roupa úmida de 7mm de boa qualidade com capuz e luvas são obrigatórias. As baias de Monterey e Carmel oferecem uma gama de pontos de mergulho apropriados para todos os níveis de habilidade, embora visitantes sem experiência de mergulho em águas frias devem veementemente considerar a possibilidade de contratar um guia de mergulho.

Reserve a Reserva: As baias de Carmel e Monterey abrangem um complicado sistema de áreas marinhas protegidas, o que é evidenciado pela grande abundância e diversidade de peixes em muitos pontos. A Reserva Natural Estadual de Point Lobos é recomendada para mergulhadores de todos os níveis. Reserve com antecedência os mergulhos em pontos cobiçados, especialmente em finais de semana e durante feriados. Visite www.pointlobos.org/diving para mais informações.

Como Chegar: O Aeroporto Regional de Monterey é o ponto de acesso mais próximo da cidade de Monterey, embora o trajeto de 160km até Monterey, a partir do Aeroporto Internacional de São Francisco, seja também uma viagem rodoviária fácil (mas com trânsito).


Machos adultos de foca-elefante com cicatrizes de batalha se congregam em San Simeon durante a temporada de acasalamento de inverno.
Intervalo de Superfície: Nós frequentemente negligenciamos atrações muito interessantes para maximizar nossos dias de mergulho, mas isto seria um grave erro na Califórnia central. A cidade de Monterey sozinha pode ocupar vários dias de visita, tanto com um aquário de alto nível quanto com uma grande parte da história da Califórnia localizada a pouca distância a pé da maioria dos hotéis. Uma caminhada em Reserva Natural Estadual de Point Lobos oferece vistas desde florestas etéreas e pontos rochosos projetando-se do oceano até adoráveis lontras marinhas apreciando uma refeição de caranguejos ou gastrópodes enquanto flutuam habilmente com a barriga para cima. Fazer um passeio de um dia para visitar uma colônia de focas-elefantes a 160km ao sul em San Simeon oferece uma dupla recompensa: além dos roucos pinípedes bonitos/feios, o trajeto da estrada pela Big Sur é tido por muitos como o mais bonito dos Estados Unidos.

© Alert Diver — 2º Trimestre 2014

Language: EnglishSpanish