Incerteza Depois de Mergulho

Relatos de casos e recomendações


Subir uma escada enquanto usa equipamento pesado, por exemplo, pode causar dor e até mesmo dormência ou formigamento, o que pode ser confundido com DD. Sintomas após um mergulho pedem a imediata administração de oxigênio e a avaliação de um médico.


Um homem de 53 anos de idade estava mergulhando em um resort no sul do Pacífico. Ele estava fazendo cerca de quatro mergulhos por dia; todos os seus mergulhos foram utilizando ar, e todos estavam dentro dos limites não-descompressivos de seu computador. À noite, no terceiro dia, cerca de três horas após o seu último mergulho e meia hora depois do jantar, ele começou a sentir fortes dores abdominais. A dor irradiava para as costas, logo abaixo do ombro direito. Ele vomitou várias vezes, se sentia fraco e precisava de ajuda para caminhar. Preocupado com a possibilidade de uma doença descompressiva grave (DD), seus amigos chamaram um táxi e seguiram com ele para o hospital local.

Alguns elementos dos sintomas e do histórico recente deste mergulhador sugerem DD, e a maioria dos médicos iria incluí-lo em suas listas de diagnósticos diferenciais. O médico avaliador, neste caso, considerou a DD, mas ele sabia que outras causas potenciais deveriam ser eliminadas primeiro. Depois que uma emergência cardiovascular foi descartada, exames de sangue e uma ultrassonografia de abdome do mergulhador revelaram pedras na vesícula biliar, que estavam causando uma inflamação aguda. O mergulhador foi submetido a uma cirurgia laparoscópica e teve uma recuperação bem-sucedida.
Os sintomas de DD
Livros e artigos sobre a DD geralmente incluem uma extensa lista de sinais e sintomas. É importante lembrar que nenhum dos sinais e sintomas em nenhuma das listas é exclusivo para DD. Estes são exemplos de alguns dos sintomas mais comuns de DD:
  • dor de cabeça
  • tontura e / ou vertigem
  • náuseas
  • dores musculares e / ou nas juntas
  • fadiga, letargia e / ou fraqueza generalizada

Como você pode ver, esses sintomas podem ser aplicados a uma ampla variedade de condições médicas, não apenas à DD. Isso pode tornar o diagnóstico um desafio.
Medicamentos
Uma mulher de 48 anos de idade completou um mergulho a 29 metros por 25 minutos usando uma mistura de Nitrox 32. Aproximadamente 10 horas após voltar à superfície, ela começou a sentir uma dor muscular generalizada, mas intensa. Ela não conseguia encontrar uma posição confortável, e nada parecia oferecer alívio. Ela ligou para o serviço médico de emergência (SME), que a transportou para o hospital local. Ao discutir seu histórico médico, o médico descobriu que a mulher tinha começado a tomar estatina para diminuir seu colesterol três semanas antes. A dor muscular é um efeito colateral raro no uso de estatinas, e os resultados dos testes de sangue sugeriam que a causa mais provável da dor era a medicação. No entanto, o médico hiperbárico que foi consultado não quis descartar a possibilidade de DD e tratou a mergulhadora na câmara hiperbárica utilizando a tabela de tratamento 6 (TT6) da Marinha Americana). O tratamento hiperbárico não teve nenhum efeito sobre os sintomas, o que confirmou que a dor muscular era provavelmente devido à medicação.




Sempre que você começar a tomar um medicamento, seja ele prescrito ou não, certifique-se de conhecer os potenciais efeitos colaterais. Como ilustrado neste caso, os efeitos colaterais de alguns medicamentos podem ser semelhantes a DD. Medicamentos também podem afetar a sua capacidade de funcionar normalmente, independentemente se você está em terra ou debaixo d'água. Medicamentos comuns contra o enjoo, por exemplo, advertem que podem causar sonolência. Os médicos formados em medicina de mergulho normalmente recomendam esperar pelo menos 30 dias após o início da utilização de um novo medicamento prescrito pelo médico antes de mergulhar. Da mesma forma, os mergulhadores devem sempre utilizar medicamentos sem prescrição médica bem antes de um mergulho, para que saibam como aquela droga os afeta. Além de limitar o risco de efeitos colaterais desorientadores ou que possam ser perigosos em profundidade, esta recomendação também ajuda a reduzir o risco de confundir os efeitos colaterais da medicação com os sintomas de DD.
Sintomas musculoesqueléticos
Diagnosticar a DD pode ser um desafio: é uma condição relativamente rara, não existem testes laboratoriais para confirma-la ou descarta-la, e ela compartilha sinais e sintomas com muitas outras doenças e lesões. Os mergulhadores que têm problemas osteomusculares pré-existentes, tais como problemas de coluna, artrite ou efeitos residuais de trauma prévio podem ser particularmente suscetíveis à incerteza diagnóstica.

Fadiga após o mergulho não é incomum, mas a fadiga significativa pode ser um sinal de DD.
As tensões físicas e atividades associadas ao mergulho e viagens (por exemplo, transportar equipamentos pesados, acomodações ou viagens desconfortáveis, nadar contra correntezas ou fazer passeios de barco em mar agitado) podem agravar as condições existentes. Entorses e lesões por sobrecarga que ocorrem em situações que não envolvem mergulho são relativamente fáceis de diagnosticar. Mas, quando o mergulho está envolvido, um médico pode sensatamente decidir realizar um tratamento dispendioso e demorado em câmara hiperbárica por precaução.

Problemas musculoesqueléticos, pré-existentes ou não, podem se manifestar como dor, dormência, perda de força e / ou redução de mobilidade, manifestações que são também possíveis sintomas de DD. A chave para descobrir a verdadeira causa de tais sintomas é uma revisão completa do histórico médico do mergulhador e das circunstâncias relacionadas às queixas.

A DAN Medical Services recebe frequentemente ligações de mergulhadores que viajaram para destinos tropicais ou subtropicais e estão experimentando uma dor de cabeça severa, várias dores articulares ou musculares, dor abdominal, náuseas e mal-estar geral, muitas vezes depois de alguns dias de mergulho. Sem nenhuma informação adicional seria fácil concluir que esses sintomas são o resultado de uma DD. No entanto, averiguações posteriores frequentemente revelam febre e diarreia. Isto sugere uma doença tropical ao invés de DD. Quando tais relatórios incluem febre, mas não vómitos ou diarreia, isto sugere dengue ou outro vírus tropical. As pessoas com esses sintomas podem precisar de atenção médica imediata, mas não precisam de transporte para uma câmara de recompressão.
Diagnóstico por exclusão
O diagnóstico de DD é geralmente um processo de exclusão de outras causas. É imprescindível que nós não descartemos a possibilidade de lesões ou doenças não relacionadas ao mergulho só porque alguém estava mergulhando. No entanto, isso não quer dizer que devemos descartar o risco de DD. Quando uma pessoa estava mergulhando, a DD precisa ser considerada no diagnóstico diferencial do médico.

Um mergulhador do sexo masculino, de 46 anos de idade, em uma viagem de mergulho de uma semana em uma embarcação liveaboard estava fazendo quatro ou cinco mergulhos por dia. Todos os mergulhos estavam dentro dos limites não descompressivos recreativos recomendados. Seu mergulho mais profundo foi a 35 metros, seu primeiro mergulho no terceiro dia. Na manhã seguinte, ele se queixou de desconforto no ombro direito. Cinco anos antes, ele havia passado por uma cirurgia no ombro para reparar uma lesão no manguito rotador. Desde a cirurgia ele havia feito mais de 80 mergulhos sem problemas, mas não era incomum ele sentir desconforto naquele ombro depois de esforço ou determinadas atividades. Normalmente ele conseguia encontrar uma posição confortável, aplicar gelo e tomar ibuprofeno para aliviar o desconforto, mas desta vez os sintomas eram um pouco diferentes e não tão facilmente aliviados.

Companheiros do mergulhador acreditavam que seus sintomas estavam relacionados ao seu histórico médico, já que todos tinham realizado o mesmo perfil de mergulho sem quaisquer problemas. Quando o mergulhador finalmente relatou seus sintomas para a tripulação do barco, lhe foi fornecido oxigênio em alto fluxo. Baseado no fato de que os sintomas eram diferentes dos que o homem tipicamente experimentava, o capitão desviou o navio em direção a uma ilha com uma clínica de mergulho.

Depois de respirar oxigênio por aproximadamente 30 minutos, o mergulhador relatou alguma melhora, mas não expressiva. O navio chegou à ilha 30 minutos mais tarde, e o mergulhador foi levado para a clínica. O médico de plantão avaliou e descobriu que seu braço direito (braço dominante) estava significativamente mais fraco do que o esquerdo. Ele diagnosticou DD e tratou o mergulhador com uma TT6, o que proporcionou uma melhora mensurável. Como os sintomas não se resolveram completamente, o médico tratou-o novamente no dia seguinte com a mais curta TT5, o que levou a uma resolução completa dos sintomas.

Há controvérsias sobre o potencial de aumento do risco de DD no local de uma lesão anterior. Poucos dados científicos abordando essa questão estão disponíveis. Mas, não obstante, sabemos que quando as pessoas com problemas musculoesqueléticos pré-existentes escolhem mergulhar, pode ocorrer uma confusão diagnóstica. Se você ou seu dupla de mergulho têm esses problemas, é essencial que vocês saibam como é o estado normal da outra pessoa. Antes de mergulhar, discutam qualquer dor existente, restrições de movimentos, fraqueza ou outra informação que estabeleça uma linha de referência clara. Informações sobre o estado normal de um mergulhador podem ser de grande valor. Qualquer variação de sintomas exige avaliação, mas não constitui por si só um diagnóstico definitivo. Mergulhadores com esses tipos de problemas deveriam fazer com regularidade um exame neuromuscular detalhado. Depois de um mergulho não é o momento de descobrir um déficit que pode ou não ter existido antes.
A manhã seguinte
Um grupo de amigos, com pouco mais de 30 anos de idade, estava de férias mergulhando em uma ilha do Caribe. Eles fizeram quatro mergulhos no primeiro dia; o primeiro mergulho foi a 26 metros, e os três seguintes foram a 18 metros, ou mais rasos. Eles fizeram um intervalo de pelo menos uma hora entre cada mergulho, mergulharam com ar e fizeram tempos de fundo todos dentro dos limites não descompressivos de seus computadores de mergulho. Todos os mergulhos ocorreram sem problemas.

O grupo saiu para jantar e beber naquela noite. Na manhã seguinte, eles se encontraram no café da manhã antes de embarcar no barco de mergulho. Um membro do sexo masculino, de 33 anos de idade, estava ausente. Seu companheiro de quarto relatou que, quando ele saiu, o amigo estava no banheiro e ele supostamente iria se juntar ao grupo mais tarde. Depois de comer, o companheiro de quarto e dois outros foram verificar o amigo. Ele estava na cama e parecia pálido. Ele se queixou de uma dor de cabeça intensa, náuseas, fraqueza e sensação de "total desconexão." A dor de cabeça era forte o suficiente para que ele estivesse sensível à luz. Ele também relatou ter vomitado "uma ou duas vezes." O grupo decidiu levá-lo para ser avaliado na clínica local; já que ele havia mergulhado e estavam preocupados com DD. O mergulhador cambaleava ligeiramente ao caminhar, mas não necessitava de ajuda.


Beba com responsabilidade; ressacas podem fazer com que você perca mergulhos e pode envolver sintomas semelhantes - ou que mascaram - sintomas de DD.


A clínica ficava a cinco minutos de táxi do resort. O médico de plantão, e sua assistente, avaliaram os sinais vitais do mergulhador e realizaram um exame neurológico. O médico também obteve um histórico dos eventos. O mergulhador negou quaisquer sintomas antes de sair de noite. Ele também admitiu que os eventos após o jantar não estavam claros para ele, já que tinha consumido "um monte" de álcool, o que seus amigos confirmaram. O médico prescreveu a administração de fluidos intravenosos, paracetamol e meclizina (medicamento contra a náusea). O médico também instruiu o homem a não mergulhar nas 24 horas seguintes e a retornar à clínica se não se sentisse melhor naquele dia. O mergulhador descansou e foi capaz de comer e beber (bebidas não alcoólicas) ao longo do dia, ele se sentia muito melhor à noite. Na manhã seguinte, ele estava se sentindo 100 por cento melhor e retomou o mergulho sem maiores problemas.

Se divertir nas férias é parte da experiência, mas abusar do álcool durante férias de mergulho não é prudente. Há suspeita de que o consumo de álcool antes ou após o mergulho possa contribuir para a DD, mas mais importante ainda, os efeitos colaterais podem ser facilmente confundidos com a DD. Muitos mergulhadores em situações semelhantes foram submetidos a tratamentos hiperbáricos desnecessariamente.
Conclusão
Os sinais e sintomas de DD não são exclusivos dessa condição. No entanto, quando uma pessoa apresenta sinais ou sintomas após o mergulho, presume-se muito frequentemente que a DD seja o diagnóstico. Isso não é de todo ruim, porque incentiva mergulhadores e equipes de mergulho a administrarem oxigênio e garantirem que o mergulhador acidentado receba cuidados médicos imediatos. Mas torna-se um problema quando os mergulhadores se recusam a aceitar explicações alternativas e se fixam na necessidade de terapia na câmara hiperbárica, às custas de outros diagnósticos e / ou tratamentos que podem ser atrasados. Além disso, o desvio de uma emergência médica não relacionada ao mergulho do tratamento apropriado para um tratamento de recompressão desnecessário, especialmente com transporte aéreo tarde da noite, pode trazer riscos adicionais ao paciente bem como à tripulação. Existem muitas condições médicas muito mais sérias do que a DD para as quais um tratamento imediato é fundamental.

Em caso de sintomas após o mergulho, administre oxigênio e leve o mergulhador acidentado para o centro médico mais próximo. Não hesite em chamar o SME, se a situação for grave, e não hesite em chamar a DAN Emergency Hotline (+ 1-919-684-9111) a qualquer momento. Informe o médico que a pessoa estava mergulhando, e incentive-o a entrar em contato com a DAN. Mas tenha em mente que existem doenças mais perigosas do que a DD, algumas das quais devem ser consideradas em primeiro lugar.
Explore mais
Para obter mais informações sobre as causas, mecanismos, manifestações, gestão e prevenção da DD, consulte a Health and Diving Reference Series da DAN, disponível em versão impressa ou online em DAN.org/health.

© Alert Diver — 4º Trimestre 2015

Language: EnglishSpanish