Eu Posso Mergulhar com Minha Condição Médica?

Os médicos e pesquisadores da DAN respondem a suas perguntas sobre medicina do mergulho.




Eu fui diagnosticado com uma condição médica, e não consigo encontrar nenhuma informação específica sobre ela em DAN.org. Como eu posso descobrir mais informações sobre a minha condição e o mergulho?

A Classificação Internacional de Doenças (CID), publicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e utilizada por médicos em todo o mundo, lista 12.420 categorias de doenças e mais de 70.000 códigos de diagnóstico. O site da DAN® inclui informações específicas sobre uma ampla gama de questões de saúde e médicas relevantes para mergulhadores e potenciais mergulhadores, mas é impossível listar todas as doenças e condições médicas.

Considere ligar para a linha de informação médica da DAN no número +1-919-684-2948; os profissionais médicos da DAN estão disponíveis para discutir suas questões sobre saúde e segurança relacionadas ao mergulho de segunda a sexta das 9h às 17h. Horário da costa leste dos Estados Unidos. Os médicos da DAN têm muito conhecimento sobre a aptidão para mergulhar e sobre mergulhar com várias condições médicas. Nós também temos estreitas relações de trabalho com vários grandes centros médicos universitários e uma grande rede global de médicos de várias especialidades com formação em medicina do mergulho.

A seguir, considere que questões sobre aptidão para o mergulho com várias condições médicas podem ser respondidas com base em princípios gerais de orientação. Muitos dos artigos em DAN.org/medical/articles, como "Cardiovascular Fitness and Diving," "Diving and the Body Systems" e "Psychological Issues in Diving," podem dar aos mergulhadores uma compreensão dos critérios mais importantes para a determinação da aptidão para mergulhar – mesmo que a sua condição clínica particular não seja mencionada especificamente.

Embora o estado de saúde de cada indivíduo deva ser considerado individualmente, mergulhadores com doenças cardiovasculares ou respiratórias importantes, problemas músculo-esqueléticos ou capacidade de exercício limitada são normalmente desencorajados a praticar o mergulho. O mergulho requer um nível de condicionamento físico que possa acomodar um esforço súbito: um longo nado na superfície até o barco ou à praia, nadar contra uma corrente forte, carregar equipamento, subir uma escada, lidar com uma forte ondulação ou arrebentação e resgatar a si mesmo ou a seu dupla. Um condicionamento físico ruim é um perigo para o mergulhador, bem como para os duplas e/ou potenciais resgatadores do mergulhador.

Um mergulhador com limitações físicas pode querer encontrar um programa desenvolvido para mergulhadores com deficiências. Há uma variedade de programas de mergulho adaptado para mergulhadores com deficiência. Alguns deles são terapêuticos ou de reabilitação por concepção, e estes programas foram criados com apoio médico tanto para o mergulhador com deficiência como para o dupla de mergulho.

— Marty McCafferty, EMT-P, DMT


Minha esposa e eu adoramos viajar para destinos exóticos, e meu médico anterior costumava me dar antibióticos para o caso de eu ficar doente em um local remoto. Eu tenho um novo clínico geral que está hesitante em fazer isso. O que a DAN recomenda?

Já há algum


tempo as orientações de prescrição com relação ao uso de antibióticos para várias condições favorecem uma abordagem muito mais conservadora devido ao aumento da resistência aos antibióticos. Muitas doenças são virais, e os antibióticos não são benéficos nesses casos. Se você ficar doente durante uma viagem, um médico local é o melhor recurso; ele ou ela conhecerá os patógenos comuns que causam problemas na área que você está visitando.

Ao viajar, sua melhor defesa contra doenças é lavar as mãos, ser cuidadoso com as fontes de água e de comida, receber as imunizações de viagem relevantes e tomar as precauções adequadas em áreas onde mosquitos e outros organismos vivos podem transmitir doenças infecciosas para humanos. Converse com seu médico ou visite uma unidade de medicina de viagem se você estiver indo para uma região na qual os cuidados médicos são escassos. O médico pode aconselhá-lo sobre quaisquer medicações que você deve levar com você e sobre quando usá-las.

— Scott Smith, EMT-P, DMT


Ultimamente eu sinto que estou tendo queimaduras solares muito mais facilmente do que eu costumava ter. Estou tomando um novo medicamento; existe alguma chance de que isso poderia ser a causa?

A luz do sol é uma adição bem-vinda a praticamente qualquer dia passado ao ar livre. Para muitas pessoas, uma camiseta e um pouco de protetor solar são suficientes para limitar os efeitos negativos de uma exposição ao sol.

Algumas


medicações, entretanto, podem tornar as pessoas mais sensíveis à radiação ultravioleta (UV), isso é chamado de fotossensibilidade. Tanto medicamentos utilizados regularmente quanto temporariamente podem causar fotossensibilidade. Sintomas leves incluem pele vermelha, coceira ou erupção cutânea; sintomas mais graves incluem queimaduras, bolhas e descoloração ou escurecimento da pele. Relate qualquer reação importante ou incomum a uma medicação combinada com uma exposição ao sol ao seu médico. Algumas reações são sérias.

Existem mais de 100 medicamentos, tanto controlados quanto isentos de prescrição médica, que podem causar susceptibilidade aos raios UV, e eles incluem medicamentos tanto orais quanto tópicos. A melhor política é primeiro ler a bula de qualquer medicamento que você toma e então perguntar ao seu médico e/ou farmacêutico sobre fotossensibilidade antes da exposição ao sol (ou bronzeamento artificial).

Remédios que podem causar fotossensibilidade incluem antibióticos, anti-histamínicos, medicamentos cardiovasculares (como medicamentos diuréticos e para pressão arterial), drogas anti-inflamatórias não esteroides (ibuprofeno, indometacina), alguns antidepressivos e alguns medicamentos antipsicóticos.

Tomar uma medicação que pode causar fotossensibilidade não significa que você tem que evitar atividades ao ar livre, significa apenas que você deve tomar precauções extras para diminuir a sua exposição à luz UV. Considere usar um chapéu de abas largas, mangas compridas e calças compridas, e reaplicar o filtro solar com mais frequência. Ficar dentro de casa por vota do meio-dia, se possível, e procurar uma sombra quando você estiver fora.

— Joel Dovenbarger, BSN


Eu mergulhei por 15 anos sem problemas, mas em minhas últimas duas viagens eu senti uma dor no abdômen superior esquerdo sob minhas costelas cerca de 15-30 minutos após o início do mergulho. Ela se torna cada vez mais intensa ao longo do resto do mergulho. Eu sou saudável, não tomo medicamentos controlados e me exercito regularmente. Eu normalmente tomo antiácidos antes de um mergulho. Eu não sinto essa dor em nenhum outro momento. Ela se torna mais desconfortável durante a subida mas desaparece assim que eu saio da água. Ela está começando a me tirar o prazer de mergulhar. Alguma sugestão?

Por favor, compreenda que nós não podemos diagnosticá-lo; você realmente precisar ser avaliado por um médico. Porque a sua dor abdominal parece mudar com a pressão, ela pode ser causada pela expansão do gás em seu sistema gastrointestinal. O aumento do desconforto durante a subida, em particular, sugere o aprisionamento de gás como uma possibilidade. Pode ser gás normal, resultado da digestão, ou pode ser da ingestão de bebidas carbonatadas. Evitar alimentos gasosos, como feijão, brócolis, repolho e outros vegetais crucíferos pode ajudar. Muitos mergulhadores evitam refrigerantes antes de mergulhar para limitar a quantidade de gás no sistema gastrointestinal.

Isso pode ser sinal de uma hérnia. Durante a subida um segmento isolado do intestino contendo excesso de gás ou gás em expansão pode expandir, o que pode causar dor ou lesão. As pessoas não devem mergulhar com uma hérnia não tratada. Outras fontes de dor abdominal incluem refluxo, uma úlcera irritada e outras causas, mas a ocorrência de dor causada por esses fatores seria esperada em outros momentos também.

Outra possibilidade que você deve considerar é a de que isso possa estar relacionado a ingestão de ar enquanto respira de seu regulador. Os mergulhadores engolem uma certa quantidade de ar como resultado de respirar ar comprimido, e um segundo estágio com uma resistência respiratória muito leve ou que seja propenso a entrar em fluxo contínuo pode aumentar a ingestão de ar. Você pode considerar mandar seu regulador para a manutenção e discutir seus problemas com o técnico de serviço. O "aperto" do segundo estágio pode ajudá-lo.

Lembre-se de que tudo isso é especulação e de que uma avaliação por um médico é essencial.

— Frances Smith, EMT-P, DMT





O que eu preciso saber sobre mergulhar com herpes?

Aqui estão algumas questões que você deve considerar:

  1. Risco de piorar a lesão — A exposição ao sol ou trauma mecânico causado pela máscara e/ou regulador podem piorar a ferida, criando uma crosta maior e alongando o processo de cicatrização.

  2. Infecção — Se a ferida estiver sangrando, exsudando ou de outra forma aberta, o risco de infecção por patógenos presentes na água é significativo. O herpes labial pode ser complicado por infecções bacterianas, por isso é importante lava-lo com água e sabão e mantê-lo o mais limpo e seco (em geral) possível.

  3. Ajuste da Máscara Prejudicado — Se a saia da máscara será colocada sobre a ferida de maneira a esfrega-la ou irrita-la, então o mergulho deve ser adiado. O mesmo é verdadeiro com relação ao regulador; se segurá-lo causa irritação, então o mergulho não é recomendado.

  4. Transmissão — Duplas de mergulho devem revisar os procedimentos de compartilhamento de ar em uma situação de emergência à luz do fato de que o herpes é contagioso. Se o equipamento for alugado, certifique-se de que procedimentos de descontaminação apropriados sejam seguidos. Embora seja improvável, há sempre uma chance de que uma ressuscitação seja necessária. Assim, devem ser tomadas precauções para evitar a transmissão da doença. Isso normalmente não é um problema porque os dispositivos de barreira estão disponíveis na maioria dos kits de primeiros socorros.

Tratamentos como penciclovir (Denavir) e docosanol (Abreva) podem suavizar a pele e promover a cicatrização. Agentes tópicos que diminuem a sensibilidade, tais como o fenol e o mentol podem ser utilizados para aumentar o conforto. Consulte o seu médico e comece a usar um medicamento isento de prescrição ao primeiro sinal de um herpes; o início da terapia antiviral nas primeiras 48 horas pode acelerar a recuperação.

— Lana Sorrell, EMT, DMT

© Alert Diver — 1º Trimestre 2016

Language: EnglishSpanish