Estabelecendo uma linha de referência

Como os computadores de mergulho determinam a pressão de superfície


Computadores de mergulho usam vários métodos para determinar a pressão de superfície, e alguns são mais precisos do que outros.


Conforme a altitude aumenta, a pressão atmosférica diminui. Este simples fato tem implicações importantes para os nossos corpos e para o funcionamento dos profundímetros.

Ao invés de medir a profundidade diretamente, os profundímetros digitais medem a pressão absoluta, o que inclui a pressão da água e a pressão do ar atmosférico acima da água (daqui em diante referida como pressão de superfície). Um computador não pode medir a pressão de superfície durante um mergulho, logo esta informação é determinada, e salva, antes do início do mergulho. O computador calcula a profundidade subtraindo a pressão de superfície da pressão absoluta medida.

Erros na determinação da pressão de superfície podem ser o resultado de uma amostragem tomada com o computador ligeiramente submerso, ou da aplicação de um valor padrão equivalente à pressão do nível do mar quando o mergulhador está na verdade em altitude. Utilizar uma pressão de superfície que é maior do que a real é ruim por duas razões. Em primeiro lugar, muita pressão será subtraída da leitura absoluta, resultando em uma estimativa de profundidade mais rasa, possivelmente fazendo você ultrapassar a sua profundidade planejada. Em segundo lugar, uma estimativa errônea da pressão de superfície significa que os cálculos de descompressão irão subestimar a magnitude do estresse descompressivo, aumentando efetivamente o risco de doença descompressiva (DD).

O clima pode causar variações na pressão de superfície, mas são valores relativamente insignificantes para o mergulho (tipicamente não mais do que 15 centímetros de profundidade de água). Altitude, por outro lado, tem um impacto muito maior. Por exemplo, mergulho no Lago Tahoe (elevação de 1900 metros) envolve uma redução na pressão de superfície equivalente a cerca de 2 metros de profundidade de água em comparação com o nível do mar.




Quando um mergulhador sai da água em altitude, a pressão de superfície é menor que a do nível do mar. Isto significa que os tecidos do mergulhador têm um nível relativamente mais elevado de sobressaturação, o que promove um maior crescimento das bolhas, aumentando assim o risco de DD. Modelos descompressivos utilizados pelos computadores de mergulho devem saber a altitude, ou a pressão de superfície, para que possam estabelecer limites não-descompressivos adequados. Alguns modelos fazem isso automaticamente, enquanto outros exigem uma configuração manual feita pelo usuário.

Em uma análise dos computadores de mergulho atualmente disponíveis no mercado, todos os modelos encontrados tinham leitura de profundidade com ajuste automático para a altitude. Isso é bom, pois poupa o usuário um ajuste manual. No entanto, o método usado para determinar a pressão de superfície varia entre os fabricantes, e alguns métodos podem ser mais precisos do que os outros.

O método ideal para se determinar a pressão de superfície deve ser confiável e preciso, não requerer nenhuma intervenção por parte do usuário, e nunca se deixar enganar por eventos que causam alterações de pressão (tais como o transporte aéreo ou a breve submersão antes de um mergulho). Isso pode ser difícil de ser alcançado na vida real, já que os programadores devem equilibrar variáveis, como o comportamento inesperado dos usuários, limitações de hardware, e a necessidade de um baixo consumo de energia.

O computador frequentemente usa o momento da ativação para medir a pressão de superfície. Isso funciona bem quando o usuário liga o computador na superfície, imediatamente antes de um mergulho. Uma vez que esta etapa pode ser esquecida pelo usuário a maioria dos computadores são projetados com uma ativação automática. Se ativada no momento da submersão, a maior densidade da água, em comparação com o ar, pode resultar em um erro significativo na estimativa de pressão de superfície, mesmo para pequenas profundidades de submersão. Mecanismos de ativação automática devem ter medidas para proteger contra erros como esse. Alguns modelos apresentam contatos para detectar a presença de água para a auto ativação. Uma vez que a unidade detecta água, ela liga, se necessário, e em seguida, mede a pressão ambiente. Isto pode fornecer uma boa estimativa da pressão de superfície, desde que a amostragem seja frequente e a descida tenha sido mínima. Contatos molhadas são geralmente amostrados a cada 1 a 5 segundos. Um erro significativo pode ocorrer se um mergulhador iniciou uma descida imediatamente ao entrar na água.


Para ajudar a garantir que o seu computador mede a pressão de superfície corretamente, ligue-o antes de entrar na água. Isso também permite que você confirme as suas funções e a vida útil da bateria.


Modelos sem sensores de água são ativados quando detectado um aumento da pressão (isto é, iniciada a descida). Já que esses profundímetros já estão debaixo d'água quando ocorre a ativação, eles devem manter um histórico de amostras de pressão enquanto em modo de espera e, em seguida, aplicar um algoritmo para determinar a pressão de superfície. Estes métodos podem ser complexos e geralmente não são explicados em detalhe. Alguns computadores detectam um aumento relativo de pressão para se auto ativarem. A vantagem da utilização de um aumento de pressão relativo é que a profundidade de ativação pode ser a mesma quando o mergulho é em altitude ou quando é ao nível do mar. No entanto é possível, através de súbitas mudanças de pressão, enganar o computador para que ele inicie um mergulho.

Alguns computadores não se ativam automaticamente até que um limite de pressão absoluta seja atingido. Apesar deste método impedir a ativação errônea, a desvantagem é que, se a profundidade de auto ativação é de 1 metro ao nível do mar, ela aumentaria para cerca de 3 metros a uma altitude de 2000 metros. Por exemplo, alguns computadores mantêm um histórico de pressões a cada 10 minutos e, após a ativação, escolhem a menor dessas pressões como pressão de superfície. No entanto, um mergulho pode começar com um longo mergulho raso de 3 metros, o que poderia resultar em uma determinação de pressão de superfície incorreta.

A solução simples para todos estes problemas é ligar manualmente o computador na superfície, antes de iniciar o mergulho.

Muitos modelos de descompressão se ajustam a altitude, o que torna crítica a determinação adequada da pressão de superfície. Outros computadores requerem ajustes manuais para um mergulho em altitude com segurança. Mergulhadores devem consultar o manual de instruções de seus computadores de mergulho para ver se os ajustes de altitude automáticos para medições de profundidade são realizados, e se existem limitações. Note que alguns modelos, especialmente os mais velhos, podem não fornecer qualquer compensação para a altitude e / ou podem não ter um recurso de auto ativação.
Recomendações


Como regra, ative o computador de mergulho manualmente na superfície imediatamente antes de cada mergulho. Isso permite que você confirme um funcionamento normal e uma vida útil da bateria adequada, e permite que o computador teste a pressão de superfície real. Quando em altitude, alguns computadores irão exibir um ícone de montanha, ou outra indicação de que o computador foi ajustado para uma pressão de superfície reduzida.

Leia as instruções de operação do seu computador para conhecer suas funções e limitações, e considere fazer um mergulho com vários instrumentos - pelo menos com um profundímetro de reserva. Uma segunda leitura de profundidade fornece uma referência para ajudar a resolver erros pontuais. Idealmente, os dois instrumentos seriam de fabricantes diferentes, para evitar falhas de concepção ou de utilização. Já que um erro de medição da pressão superficial é mostrado como uma profundidade errada, constantemente ao longo do mergulho, isso pode ser detectado rapidamente, enquanto o mergulho ainda é raso.

Mergulhar em altitude é mais complexo do que mergulhar ao nível do mar, e podem ser necessários ajustes adicionais. Não hesite em fazer perguntas ao fabricante do seu computador de mergulho se você não encontrar todas as informações que você precisa.

© Alert Diver — 4º Trimestre 2015

Language: EnglishSpanish