Coral Congelado Criogenicamente



Assim como os bancos de sementes foram criados a fim de proteger o futuro dos alimentos, o Repositório Global de Corais (Global Coral Repository) vai coletar biópsias de várias espécies de corais para proteger o futuro dos nossos oceanos.

O Laboratório Ambiental Haereticus (Haereticus Environmental Laboratory) é uma organização sem fins lucrativos dedicada a promover esforços na restauração ambiental através de pesquisas. Seus cientistas desenvolveram uma tecnologia que permite a propagação através biopsias quase microscópicas de tecidos. Essas amostras podem ser cultivadas e desenvolvidas até a formação de um coral adulto por um processo que pode gerar milhões de descendentes a partir de uma única amostra de material genético.


Nova tecnologia de armazenamento permite aos cientistas a conservação de amostras de tecidos de corais para estudos e preservação.

Juntamente com a tecnologia de propagação, os cientistas da Haereticus também desenvolveram métodos de congelamento criogênico de amostras de corais, preservando-os em um estado que possibilita a restauração da vida e da reprodução dos mesmos. Vão ser criados vários repositórios internacionais para manter essas amostras, garantindo a proteção de mais de 5.000 espécies conhecidas de corais. O pioneiro desses repositórios está no laboratório da Haereticus na Virgínia, nos EUA; o próximo vai ficar na Universidade de Oxford e espera-se que já esteja operacional ainda em 2012. A esperança é de que mais repositórios sejam criados no mundo todo no futuro próximo. O processo de coleta de amostras deve durar cerca de 40 anos.

Não só esses repositórios oferecem uma oportunidade de preservação das espécies de corais do planeta, mas eles também permitem aos cientistas a investigação dos fatores que contribuem para o declínio dos corais, o conhecimento sobre como preservar as populações de corais existentes, a propagação de espécies arquivadas e a restauração de recifes danificados. Além disso, os repositórios criam um inventário global de espécies de corais, e uma base de dados forense para o uso nos casos de corais transportados para fora das fronteiras internacionais. "Os repositórios vão manter um registro do DNA de todas as espécies de corais, assim como uma identificação geográfica para cada amostra", disse Craig Downs, o diretor executivo do Repositório Global de Corais. "Fazendo uso dessa tecnologia de registro de DNA e análise de espécimes, nós deveremos estar aptos para determinar a origem de uma amostra, ajudando assim nos esforços de aplicação da lei da Convenção do Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas e outras regulamentações."



Para estarem em condições de serem preservadas, as amostras devem ser provenientes de colônias de corais saudáveis, e os mergulhadores podem ajudar a identificá-las. De acordo com Downs, cada região será dotada de uma lista de características visuais que os mergulhadores poderão usar para confirmar a saúde dos recifes, incluindo a cobertura de corais, diversidade de espécies e restauração dos corais. "Os mergulhadores podem fornecer documentação fotográfica e as coordenadas da localização (GPS) de um candidato a recife ‘saudável,' o que será uma contribuição bastante significativa para os objetivos do Repositório Global de Corais." Os trabalhos de coletas serão iniciados no arquipélago de Florida Keys.

Para maiores informações, visite www.CoralRepository.org.


© Alert Diver — Winter 2012

Language: EnglishSpanish