Acabe com o Comércio de Barbatanas de Tubarão nos EUA

Um projeto de lei bipartidário apresentado ao Congresso visa à interdição da venda de barbatanas de tubarões nos EUA.




Eu cresci no mar, cercada por pioneiros da exploração dos oceanos e da conservação. Se há uma coisa que eu aprendi com minhas experiências com meu pai, Philippe Cousteau, e meu avô, Jacques-Yves Cousteau, é a interconectividade da vida nos oceanos. Toda criatura tem seu lugar, e um grupo de criaturas tem um papel vital nos ecossistemas oceânicos e ao mesmo tempo tem um lugar especial no coração dos mergulhadores: os tubarões.

A alegria de ver esses magníficos predadores em seu habitat natural, nos seus termos, é difícil de descrever para alguém que não teve a sorte de vivenciar tal momento. O poder gracioso de um tubarão pode fazê-lo sentir-se ao mesmo tempo vulnerável e profundamente privilegiado por poder testemunhar a beleza desse animal em seu habitat. Observar um tubarão durante um mergulho traz a sensação de ser um hóspede em sua casa.

Esta é a razão pela qual mergulhadores, mais do que qualquer um, devem ficar indignados com o tratamento repugnante e degradante dado aos tubarões. Para satisfazer uma demanda por sopa de barbatana de tubarão, os tubarões são arrastados para dentro dos barcos, onde suas barbatanas são cortadas, e então seus corpos mutilados são jogados de volta ao oceano, onde eles se afogam, sangram até a morte ou são até mesmo comidos vivos por outros peixes.


Os humanos matam 73 milhões de tubarões por ano, muitos dos quais pelas
suas barbatanas.
A organização de conservação Oceana relata que 73 milhões de tubarões são mortos para o comércio de barbatanas de tubarões a cada ano. Este é um comércio que precisa ser interrompido. Com este objetivo, a Oceana trabalhou com legisladores no congresso para introduzir o bipartidário Shark Fin Trade Elimination Act (S. 3095/H.R. 5584) (Decreto para a Eliminação do Comércio de Barbatanas de Tubarão), com os Senadores Cory Booker (D-NJ) e Shelley Moore Capito (R-WV), e os Deputados Gregorio Kilili Camacho Sablan (I-MP) e Ed Royce (R-CA) como co-patrocinadores. Este projeto de lei tornaria a compra e venda de barbatana de tubarões ilegais nos Estados Unidos da América. Eu faço um apelo aos legisladores e cidadãos para que façam tudo o que puderem para garantir que este projeto de lei seja aprovado.

O comércio de barbatanas é uma das maiores ameaças aos tubarões em todo o mundo. O shark finning (ato de retirar apenas as barbatanas dos tubarões) é atualmente ilegal em águas dos EUA, e embora 11 Estados tenham aprovado interdições ao comércio de barbatanas de tubarões, barbatanas ainda são compradas e vendidas nos Estados Unidos. Uma vez que a barbatana foi removida, é impossível saber se ela vem de um tubarão que foi pescado legalmente pela sua carne ou de um tubarão que teve sua barbatana removida no mar.

Um relatório recente sobre o shark finning revelou grandes discrepâncias nos dados sobre o comércio de barbatana de tubarão, com outros países relatando que enviaram aos EUA mais produtos de barbatana de tubarão do que os EUA registraram ter importado. É praticamente impossível saber a verdadeira origem de qualquer barbatana que entra ou sai dos EUA. Dos produtos de barbatana de tubarão que entram nos EUA mais de 85 por cento provêm de países sem regulação sobre finning. Um estudo de 2006 descobriu que 14 das espécies mais comuns envolvidas no comércio de barbatanas de Hong Kong (o líder histórico no comércio global de barbatanas) estavam todas nas classificações Quase Ameaçadas, Vulneráveis ou Em Perigo, de acordo com a International Union for Conservation of Nature. Portanto, sem uma boa forma de saber de onde uma barbatana veio, aquelas que entram nos EUA podem ser produto de uma prática proibida em águas dos EUA, e pior, elas podem ser as barbatanas de tubarões que estão em risco de extinção.


Embora retirar as barbatanas de tubarões vivos seja ilegal em águas dos EUA,
e 11 Estados proíbam o comércio de barbatanas de tubarões, barbatanas
ainda são compradas e vendidas nos EUA.
A proibição total do comércio resolveria este problema. Não haveria necessidade de tentar descobrir se uma barbatana foi cortada de um tubarão vivo, de uma espécie ameaçada, porque nenhuma barbatana poderia ser vendida nos Estados Unidos. Nós já estamos utilizando esta estratégia para o marfim dos elefantes e os chifres de rinocerontes, e já é hora dos tubarões receberem a mesma proteção. Polls mostra que 8 em cada 10 americanos apoiam uma proibição nacional ao comércio, e dúzias de organizações como a Sierra Club e Sea Shepherd declararam seu apoio ao Shark Fin Trade Elimination Act. Mas para esse projeto de lei ser aprovado ele precisa de todo apoio que puder, e eu não posso pensar em um porta-bandeira melhor para esta questão do que a comunidade de mergulho.

Como todos vocês sabem, um oceano sem tubarões é um oceano desequilibrado. Os tubarões proporcionam alguns dos mais memoráveis momentos na carreira de um mergulhador, mas eles também proporcionam o equilíbrio necessário para todas as populações em qualquer ecossistema prosperarem – desde as angiospermas marinhas até os corais e peixes. A abundância e a biodiversidade para as quais os mergulhadores vivem são dependentes de um oceano saudável, e um oceano saudável precisa de tubarões – e os tubarões precisam de você.

Por favor telefonem e digam aos seus representantes no congresso para apoiarem este projeto de lei. Eu faço um apelo para que isso se torne uma questão central para a comunidade de mergulho. Assista ao vídeo no link na barra lateral, e compartilhe este apelo com seus amigos e familiares.

Desde que o meu avô fez seu primeiro mergulho autônomo há pouco mais de 70 anos, os tubarões tem proporcionado aos mergulhadores as mais fortes emoções. Infelizmente, a não ser que ajamos como uma comunidade, muitas das nossas espécies favoritas podem não sobreviver aos próximos 70 anos. Aqueles momentos de admiração e espanto se tornarão menos frequentes. É hora de acabar com a compra e venda de barbatanas de tubarões nos Estados Unidos, e é hora dos mergulhadores defenderem um peixe que tanto tem nos proporcionado.
Saiba Mais
Leia o relatório de Oceana em oceana.org/FinBanNow.

Assista ao vídeo.



© Alert Diver — 4º Trimestre 2016

Language: EnglishSpanish