Colaborando com um guia de mergulho




Um goby limão em uma concha bivalve vazia

Minha primeira viagem de mergulho para o Estreito de Lembeh foi uma experiência reveladora e que mudou para sempre a minha visão do mergulho e da fotografia subaquática. Eu sempre achei que tinha um bom olho para encontrar temas incomuns, e tinha até um pouco de orgulho da minha capacidade. Mas, quando fui apresentado aos meus primeiros verdadeiros guias de fotografia subaquática, percebi o quão pouco eu realmente sabia.

Enquanto me preparava para meu primeiro mergulho o meu guia fez uma rápida, mas detalhada, preleção. Na verdade, foi mais uma sessão de estratégia, cobrindo detalhes específicos, tais como os sinais manuais que ele usaria e como iríamos trabalhar juntos para fotografar o nosso tema alvo. Esta preleção foi um nível acima de qualquer outra que eu havia tido no passado e, aderindo ao plano, fotografei com sucesso o meu primeiro cavalo-marinho pigmeu nesse mergulho.

As diferenças entre um guia de fotografia subaquática, ou spotter em inglês, e um divemaster típico podem ser resumidas facilmente: o principal papel de um guia de fotografia subaquática é manter um olho aberto para criaturas e ajudar o mergulhador a encontrar, e fotografar, temas. O divemaster está preocupado, principalmente, com a segurança do grupo (embora ele ou ela possam apontar algumas coisas ao longo do caminho).
Gênese do Guia de fotografia subaquática
No final de 1980, Larry Smith assumiu o comando de um resort, então sem nome, em um canto obscuro do Norte de Sulawesi, na Indonésia, e agora conhecido como Estreito de Lembeh. A paixão de Smith pelo mergulho e sua obsessão por animais exóticos já eram lendárias quando ele começou a treinar seus divemasters locais na delicada arte da caça às criaturas. Ele e sua equipe começaram a explorar a área procurando novos locais de mergulho, e ele logo percebeu que a nova equipe de mergulho tinha um talento natural para encontrar criaturas. A notícia logo se espalhou, e os esforços de Smith começaram a ser notados em toda a comunidade de mergulho, particularmente entre os fotógrafos subaquáticos. Logo o resort ficou repleto de fotógrafos, todos clamando para obter imagens dessas aparentemente novas e raras criaturas do estreito. Com muito trabalho e dedicação ele e sua equipe criaram um nicho totalmente novo na indústria do mergulho, agora conhecido como "muck diving," e estabeleceram o papel do guia de fotografia subaquática.

Hoje encontrar o guia certo tornou-se uma consideração importante para fotógrafos subaquáticos. Tem sido dito que, "Não é o local de mergulho, e sim o guia de mergulho no local" que faz um mergulho ganhar vida, o que foi definitivamente a minha experiência.
Obtendo o máximo de sua colaboração
A preparação é o segredo para se obter o máximo de sua experiência guiada. Conhecer os possíveis temas e criar uma lista do que você gostaria de ver ou fotografar antes de sua viagem é uma ótima maneira de começar. Há um Santo Graal específico para qualquer destino, e o guia já sabe qual é a atração principal.


Rhinopias são consideradas uma atração especial


Uma coisa o seu guia não vai saber: o que o seu portfolio já tem em abundância. Então, se peixes Falco são redundantes para você, deixe o seu guia saber disso. Ou se você realmente cobiça uma foto de um Polvo de Anéis Azuis, igualmente informe o seu guia. Se você sentir que seu guia é empolgado com algum tema específico, ou ele tem um tema que realmente quer lhe mostrar, então certamente vale a pena investigar. Muitas vezes aquele puxão na minha nadadeira me proporcionou a oportunidade de ver algo completamente fora do comum. A oportunidade de fotografar algo incomum pode surgir da observação da linguagem corporal do seu guia, então preste atenção.
A lanterna, montagens e o bastão
Uma das ferramentas mais valiosas de um guia é sua lanterna, que é usada para encontrar temas de todas as formas e tamanhos durante o dia e à noite. Uma forte luz com um feixe fechado pode examinar algas, permitir que se espreite debaixo de cabeças de corais, observar fendas e pesquisar o fundo de areia, descobrindo movimento em um tema que, de outra forma, estaria passivo ou enigmático. Este ligeiro movimento é muitas vezes tudo o que é necessário para que os olhos de um guia descubram um tema. Predadores estacionários, como o frogfish e o peixe-escorpião sobrevivem permanecendo imóveis e confiando em suas camuflagens para se esconderem e caçar. Para o olho destreinado, alguns temas, mesmo sendo um tanto berrantes, podem fundir-se perfeitamente com seus habitats.


Um polvo de anéis azuis em pose de caça
A montagem é uma prática em que um guia auxilia um fotógrafo na composição de uma imagem, incentivando o objeto a se mover para uma posição onde ele fique mais fotogênico. Alguns resorts e fotógrafos são eticamente contrários a fotos montadas - por um bom motivo - mas é ingênuo supor que montagens não aconteçam. Podem ser tão benignas quanto incentivar um polvo a revelar a sua curiosa natureza, ou usar uma folha de angiosperma marinha para escovar cuidadosamente um determinado tema, mas também podem ser significativas - fazer um baiacu inchar ou segurar tartarugas debaixo d'água, por exemplo. A maioria dos guias sabe que tais comportamentos são errados e não serão tolerados por seus clientes, mas, uma linha tênue separa o empenho do assédio. Cada guia terá seus próprios padrões com relação à essa prática; um simples toque na mão ou um grunhido irá alertar o guia de que já chega e é hora de seguir em frente. Elogiar o seu guia na superfície por ter sido gentil é uma boa prática para promover uma abordagem mais ecológica. Um elogio é muito mais poderoso do que uma queixa; lembre-se de que vocês formam uma equipe e precisam trabalhar juntos - o respeito mútuo pode percorrer um longo caminho.

Quase todos os guias de foto de mergulho agora carregam um "bastão muck" para usar de diversas formas na busca de diferentes temas. Empurrando algas para o lado ou fazendo cócegas no pé de uma crinoide com o bastão, um guia pode mover-se rapidamente em um local de mergulho, sondando e pesquisando. Para alguns mergulhadores esta atividade pode parecer um pouco agressiva ou intrusiva, mas nas mãos certas um bastão muck pode ser exatamente o oposto. Alguns guias irão utilizar vários bastões, de tamanhos diferentes, laços zip, com um pequeno pedaço de linha de monofilamento ou, o meu favorito, um hashi. Todos estes podem ser usados para fazer cócegas em um tema, incentivar o movimento ou estabilizar um mergulhador sem destruir o habitat ou perturbar indevidamente um tema.


Hairy shrimp é um dos temas super-macro mais procurados no Indo-Pacífico.


Comunicação em cima e em baixo
Comunicação eficaz acima da linha da água irá aumentar a eficiência abaixo, onde o tempo é limitado, melhorando assim a sua capacidade de colaborar com seu guia e temas. Ocasionalmente seu tempo de fundo será consumido à procura de um tema específico, então, quando ele for finalmente localizado, é importante estar pronto - relaxar e se concentrar em trabalhar o tema com o seu guia.


Um embrião de sépia se exibindo
Alguns dos locais de mergulho mais produtivos tendem a ser os mais movimentados, por isso é também importante aprender como se comunicar com o seu guia subaquático. Alguns guias usar um sinalizador sonoro, uma maraca ou mesmo batem no cilindro para sinalizar aos seus clientes. Infelizmente essas abordagens também chamam a atenção de todos os outros mergulhadores no local, e pode haver um embate corporal para ver quem vai tirar a foto. Um método mais silencioso permitirá que guia e mergulhador se movam para um local sem atrair muita atenção, mesmo entre a multidão, enquanto ainda se comunicam entre eles. Um grunhido de baixa frequência e alguns sinais de mão podem dizer tudo. Para maximizar ainda mais o seu tempo de fundo, tente organizar uma baixa relação mergulhador por guia ou, melhor ainda, excursões privadas. Muitos resorts oferecem esses serviços por um custo, e os resultados gerados podem valer o custo adicional.


Comunicar-se com o seu guia pode levar a algumas descobertas extraordinárias e oportunidades fotográficas especiais, como estes shrimp gobies.


Crustáceos e nudibrânquios
Cores ornamentadas e interessantes estruturas corporais são apenas algumas das razões pelas quais os crustáceos e nudibrânquios são temas desejáveis. Mas, encontrá-los não é tão fácil como se poderia pensar. O camarão tigre, o camarão arlequim, o hairy shrimp, o bumblebee shrimp, o caranguejo boxer e muitos nudibrânquios sensíveis à luz, não ficam expostos sobre o recife. Encontrar estes temas pode exigir buscas através de escombros e corais mortos, por exemplo. Um guia que sabe onde procurar e como fotografar esses animais, pode ser muito menos intrusivo do que um mergulhador que escava em um habitat frágil sem conhecer a área.


Um peixe sapo cabeludo (A. Striatus) pescando uma refeição

Usando seu livro de identificação de campo como se fosse uma lista de desejos, consulte o seu guia: Pergunte o que ele é bom de encontrar ou o que é sazonal, e deixe-o saber se há algum tema em particular que você gostaria de ver. Há sempre a chance de que algo especial possa vir à mente, o que sempre acrescenta emoção a um mergulho.

Muitos guias que vivem em regiões remotas do mundo têm se dedicado ao mergulho, apesar das pressões locais para pescar ou coletar coisas do mar. O seu conhecimento da vida marinha local pode ser extraordinário, e seus insights sobre comportamentos podem ser notáveis, mesmo na ausência de educação formal. Muitos guias têm sido responsáveis pela descoberta de novos animais marinhos.

As estreitas relações de trabalho entre mergulhadores e guias de fotografia subaquática podem forjar amizades duradouras e criar experiências de vida incrivelmente gratificantes e agradáveis. É difícil igualar a alegria de encontrar um integrante de uma lista de desejos, descobrir algo novo juntos ou mostrar a um mergulhador um tema que ele tenha viajado milhares de milhas para ver.


Uma pink-eared sea mantis com ovos brancos


Como dizer obrigado
  • Dê uma gorjeta na moeda local. (Siga o protocolo do resort local para definir quando e como dar uma gorjeta.)
  • Compartilhe lucros ou prêmios de uma competição.
  • Informe o resort o quanto você gostou do seu guia.

© Alert Diver — 4º Trimestre 2015

Language: EnglishSpanish